'Robin Hood do papa' viola lei para religar energia para moradores de rua na Itália

Cardeal Konrad Krajewski é conhecido em Roma por seus atos de caridade

Roma | Reuters

​Um assessor próximo do papa Francisco atraiu a ira do ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, por  religar a eletricidade de centenas de pessoas que moram em um prédio ocupado em Roma.

O cardeal Konrad Krajewski, 55, responsável por distribuir os fundos de caridade do pontífice, foi até o prédio, que é propriedade do Estado italiano, no sábado (11) à noite e rompeu um selo da polícia para reconectar disjuntores e restabelecer o fornecimento de energia ao edifício.

Konrad Krajewski (centro, logo atrás do papa) participa de cerimônia no Vaticano em 2013, quando ainda era arcebispo
Konrad Krajewski (centro, logo atrás do papa) participa de cerimônia no Vaticano em 2013, quando ainda era arcebispo - Tony Gentile - 13.mai.2019/Reuters

Na manhã de segunda, a notícia do ato do cardeal viralizou e muitos o consideraram um herói nas redes sociais. O jornal La Repubblica, voltado ao público de esquerda, publicou uma manchete chamando  Krajewski de "o Robin Hood do papa" e o elogiando por "fazer a coisa certa".

"O que posso dizer? Era uma situação especialmente desesperadora. Eu repito: assumo toda a responsabilidade. Se chegar alguma multa, eu a pagarei", disse ele em uma entrevista ao diário Corriere della Sera. 

O prédio está ocupado desde 2013 por italianos que perderam suas casas e imigrantes. Ele abriga cerca de 450 pessoais, incluindo cem crianças. 

A energia do local estava cortada desde o dia 6 de maio por causa de um débito de 300 mil euros com a fornecedora.

"Defender a ilegalidade nunca é um bom sinal", disse Salvini, que já confrontou as posições do papa em questões sociais e de imigração outras vezes.

"Há muitos italianos e até imigrantes legais que pagam suas contas, mesmo com dificuldade. As pessoas podem fazer o que quiserem, mas eu, como ministro do Interior, garanto o cumprimento das regras."

Krajewski, que se locomove por Roma em uma bicicleta, disse que ele passaria a pagar as contas de eletricidade do prédio e que a questão para ele ia além do dinheiro.

"Há crianças ali. A primeira coisa é perguntar 'por que elas estão ali?'. Como é possível que famílias vivam em uma situação dessas?" disse ele. 

O polonês já era uma celebridade local. Desde que o papa o nomeou para cuidar das ações de caridade, em 2013, ele ficou conhecido por se vestir com roupas casuais à noite para levar comida aos moradores de rua de Roma em uma van.

Ele também está por trás da abertura de abrigos próximos ao Vaticano onde moradores de rua podem tomar banho, cortar o cabelo e receber tratamento médico. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.