Sindicatos anunciam nova greve geral na Argentina

Ato no próximo dia 29 será quinta paralisação de trabalhadores contra a gestão Macri

Sylvia Colombo
Buenos Aires

A Argentina terá uma nova greve geral, convocada pela CGT (Confederação Geral do Trabalho), no próximo dia 29 de maio, para protestar contra a política econômica do governo do presidente Mauricio Macri.

Os manifestantes pedirão medidas para amenizar o impacto da inflação, que fechou em 47% em 2018 e já acumula quase 15% neste ano, e uma mudança nos rumos da economia para conter os aumentos.

Manifestantes protestam contra aumento de tarifas durante greve em Buenos Aires, na Argentina
Manifestantes protestam contra aumento de tarifas durante greve em Buenos Aires, na Argentina - Juan Mabromata - 30.abr.19/AFP

Esta será a quinta greve de trabalhadores contra a gestão Macri e está prevista para durar 24 horas.

 
A Casa Rosada tentou evitar o protesto, liberando mais de 2 bilhões de pesos para um novo pacote de assistência social a sindicatos, mas não foi suficiente.

Depois de quatro horas de reunião, os sindicalistas decidiram que a greve é necessária. "De maneira unânime convocaremos uma ação direta", afirmou o líder sindical Héctor Daer.

"A greve tem como objetivo frear a aceleração da decadência econômica de nossos companheiros e companheiras, que não têm como satisfazer as contas de seus lares. É preciso reativar a economia de modo a incluir todos os habitantes."

A paralisação deve afetar principalmente os transportes terrestre e aéreo —quem tiver voo para a Argentina nessa data deve confirmar com sua companhia aérea.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.