Autor de massacre na Nova Zelândia se declara inocente

Exames psicológicos constataram que Brenton Tarrant, 28, é apto para enfrentar julgamento

Christchurch (Nova Zelândia) | AFP

O extremista australiano Brenton Tarrant, 28, autor de um ataque terrorista que deixou 51 mortos em março passado em duas mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia, declarou-se inocente, informou seu advogado nesta sexta-feira (13).

Em uma transmissão audiovisual a partir da prisão de segurança máxima de Auckland para o tribunal de Christchurch, o advogado Shane Tait afirmou que seu cliente se declara "inocente de todas as acusações".

Durante a transmissão, Tarrant ficou sentado em silêncio ao lado do advogado. 

Brenton Tarrant comparece a tribunal de Christchurch, na Nova Zelândia - Mark Mitchell - 16.mar/New Zealand Herald/Reuters

Tarrant, que se define como um supremacista branco, é acusado de 51 homicídios, 40 tentativas de homicídios e por ação terrorista. 

No dia 15 de março, ele atirou contra fiéis durante a oração de sexta-feira em duas mesquitas de Christchurch, na ilha sul da Nova Zelândia, no pior massacre da história moderna do país. 

Durante a audiência, foi informado que os exames realizados na prisão constataram que Tarrant é mentalmente apto para ser julgado. 

Ao menos 80 sobreviventes do massacre e familiares das vítimas assistiram à audiência e puderam ver Tarrant sorrindo ironicamente em vários momentos da transmissão. 

O juiz Cameron Mander fixou a data de abertura do julgamento para 4 de maio de 2020. O advogado Shane Tait avalia que o julgamento deve durar cerca de seis semanas. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.