Governo mexicano detém 791 pessoas em ação contra imigração ilegal

Esforços acontecem após acordo firmado com governo dos Estados Unidos

Roberto Ramirez
Tapachula (México) | Reuters

O México deteve 791 imigrantes sem documentações, em uma das maiores ações contra imigração ilegal dos últimos meses, informou o governo mexicano neste domingo (16).

Os imigrantes ilegais centro-americanos, entre eles 368 crianças menores de oito anos, foram detidos no sábado (15) em quatro caminhões no estado de Veracruz, segundo o Instituto Nacional de Migração do México.

No grupo das crianças, 270 têm entre seis e sete anos e 98 são menores de cinco anos. O governo também afirmou que seis suspeitos de tráfico de pessoas foram detidos.

Soldado mexicano em Ciudad Juarez durante operação para inibir o fluxo de imigrantes ilegais
Soldado mexicano em Ciudad Juarez durante operação para inibir o fluxo de imigrantes ilegais - Jose Luis Gonzalez/Reuters

O grupo de imigrantes, formado por salvadorenhos, guatemaltecos e hondurenhos, foi transferido para postos de migração da região.

A detenção ocorre em meio à intensificação por parte do México dos esforços para reduzir a entrada de imigrantes que tentam chegar aos EUA, após acordo com o governo do presidente Donald Trump na semana passada. 

Trump havia ameaçado impor tarifas progressivas sobre todos os produtos mexicanos caso o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não impedisse o fluxo imigratório.

Como parte do acordo, o México se comprometeu a empregar 6.000 soldados da Guarda Nacional na fronteira do país com a Guatemala, ao sul. 

Ficou acertado ainda que essa e outras medidas serão avaliadas dentro de um prazo de 45 dias. Caso não tenha havido avanços, a ameaça das tarifas volta, e os dois países retornam à mesa de negociações.

O estado de Veracruz é uma das regiões mais violentas do México por ser uma das rotas mais utilizadas para o tráfico de drogas para os EUA —lá, muitas pessoas que tentam cruzar a fronteira são roubadas, extorquidas ou sequestradas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.