Irã convoca embaixador do Reino Unido após acusações sobre ataques a petroleiros

Britânicos foram únicos a ecoarem afirmação dos EUA de que iranianos atacaram embarcações

Dubai | Reuters

O Irã convocou neste sábado (15) o embaixador do Reino Unido em Teerã após Londres acusar a república islâmica pelos ataques contra petroleiros no golfo de Omã, afirmou a agência de notícias semiestatal iraniana Isna.

"Durante o encontro com o representante, o Irã condenou fortemente as alegações infundadas e criticou a posição inaceitável do Reino Unido sobre os ataques no golfo de Omã", disse.

Um dos petroleiros atacados no golfo de Omã - Isna - 13.jun/Reuters

Teerã pediu uma explicação e uma correção da posição britânica, depois de o Reino Unido ter sido o único país a ecoar as acusações americanas. 

Na sexta, o chanceler britânico, Jeremy Hunt, culpou em nota a Guarda Revolucionária Iraniana, dizendo que nenhum outro Estado ou ator não estatal poderia ter sido responsável. O Irã nega envolvimento no caso. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na sexta que o incidente "tinha a assinatura" de Teerã. 

Captura de vídeo divulgado pelos EUA que mostraria bote da Guarda Revolucionária do Irã próximo a petroleiro japonês para remover mina que não explodiu
Captura de vídeo divulgado pelos EUA que mostraria bote da Guarda Revolucionária do Irã próximo a petroleiro japonês para remover mina que não explodiu - Comando Central dos EUA via AFP

“Eles não querem deixar evidências. Eles não sabem que nós temos coisas que podem detectar na escuridão e que funcionam muito bem. Nós temos isso. Foram eles”, disse o presidente, em referência ao vídeo que mostraria membros da guarda iraniana retirando a mina do petroleiro. 

​Na noite de quinta, o Pentágono divulgou um vídeo no qual um suposto bote de patrulha da Guarda Revolucionária do Irã se aproxima do petroleiro japonês Kokuka Courageous e recolhe um dispositivo apontado como uma mina marítima que não teria explodido.

Mas o presidente da empresa japonesa Kokuka Sangyo, que controla o petroleiro, disse que um “objeto voador” foi o responsável por atacar a embarcação da companhia.

"A tripulação nos disse que algo veio voando no navio, e eles encontraram um buraco", afirmou  e Yutaka Katada, presidente da companhia japonesa. "Então, alguns tripulantes testemunharam o segundo tiro."

“Uma bomba colocada na lateral não é algo que estamos pensando. Se for algo entre uma explosão e uma bala, tenho impressão de que foi uma bala. Se fosse uma explosão, teria havido danos em diferentes lugares.” Ele acrescentou que não houve danos à carga de metanol. 

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.