Agentes de fronteira fizeram piadas sobre morte de imigrantes em rede social, diz site

ProPublica teve acesso a grupo no qual policiais postaram mensagens ofensivas

São Paulo

Membros de um grupo secreto do Facebook que reúne agentes da patrulha de fronteira dos Estados Unidos fizeram piadas sobre a morte de imigrantes e postaram mensagens sexistas sobre deputadas que planejam visitar um centro de detenção, segundo a organização de notícias ProPublica.

A reportagem do site americano revelou que policiais, tanto da ativa quanto aposentados, comentaram a notícia da morte de um imigrante guatemalteco de 16 anos com memes expressando indiferença ao ocorrido.

Outras várias publicações no fórum se referem ao plano das deputadas democratas Alexandria Ocasio-Cortez e Veronica Escobar de visitar um centro onde imigrantes que cruzam ilegalmente a fronteira são mantidos.

Elas integram a bancada hispânica do Congresso americano —Ocasio-Cortez já classificou esses abrigos como campos de concentração nazistas. 

Um dos policiais escreve que "alguém deveria atirar um burrito nessas vadias". Outro responde: "Deixe que ela abrace todas as crianças gripadas e com catapora!".

Um terceiro sugere que os policiais no local deveriam usar etiquetas de identificação que mostrassem seus nomes como "nazista".

Uma das publicações mais explícitas mostra uma montagem em que o presidente americano, Donald Trump, aparece sentado forçando a cabeça de Ocasio-Cortez em direção a sua virilha. 

Em um outro post, um agente publica a foto do pai e da filha que se afogaram tentando cruzar o rio Grande e questiona sua veracidade. "Tudo bem, eu vou ter que perguntar. Vocês já viram flutuadores tão limpos assim? Não quero ser babaca, mas eu nunca vi flutuadores desse jeito, pode ser outra foto editada..." 

A imagem chocou os Estados Unidos na última semana e levou vários congressistas a aumentarem as críticas à política migratória de Trump.

Segundo a ProPublica, o grupo foi criado em agosto de 2016 e é chamado de "Eu sou 10-15", uma referência ao código policial usado para "estrangeiros sob custódia".

O texto que descreve o fórum afirma que a página é para discussões "engraçadas e sérias" sobre o trabalho da patrulha.

O líder da bancada hispânica, o deputado e pré-candidato democrata à Presidência Joaquín Castro, do Texas, afirmou que as mensagens "confirmam algumas das piores críticas feitas à patrulha de fronteira".

"Claramente, esses são agentes que estão insensíveis ao ponto de serem perigosos para imigrantes", disse. 

O governo americano tem sofrido uma série de críticas após as denúncias de tratamento precário a crianças imigrantes em um posto superlotado de fronteira do Texas. Este episódio levou ao pedido de demissão, na semana passada, do responsável pela agência de fronteiras do governo.

Nos últimos meses, a chegada de imigrantes sem documentos à fronteira sul dos Estados Unidos aumentou expressivamente.

Apenas neste ano, 664 mil pessoas foram detidas, uma alta de 144% em relação a 2018, segundo a patrulha. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.