Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro volta a defender indicação de filho: 'Fala inglês, espanhol e frita hambúrguer'

Ao chegar ao Palácio do Planalto, presidente brincou com a fala do filho, que trabalhou em lanchonete nos EUA

Gustavo Uribe Daniel Carvalho
Brasília

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender nesta terça-feira (16) a indicação de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o posto de embaixador nos Estados Unidos e ironizou as críticas feitas contra ele por falta de experiência para a função.

Na entrada do Palácio do Alvorada, onde promove reunião ministerial, ele cumprimentou eleitores e salientou que, além de falar inglês e espanhol, o filho sabe fritar hambúrgueres. A habilidade foi citada pelo próprio parlamentar e acabou virando piada nas redes sociais.

O presidente Jair Bolsonaro caminha entre o Palácio do Planalto e a Câmara dos Deputados na manhã de terça (15) - Pedro Ladeira/Folhapress

"Eduardo é meu filho. Fala inglês, fala espanhol, tem uma vivência internacional muito grande. E frita hambúrguer também, tá legal?", disse.

Na porta da residência oficial, onde Bolsonaro participou com sua equipe de ministros de cerimônia de hasteamento da bandeira, simpatizantes do presidente, que compareceram para acompanhar o evento, defenderam a indicação do filho dele para o cargo.

Desde o final de semana, o Palácio do Planalto tem feito sondagens informais para avaliar as chances de aprovação pelo Senado do nome do parlamentar para o posto diplomático. 

Bolsonaro está determinado a oficializar a indicação, mas, em conversas reservadas, demonstrou incômodo com a possibilidade de rejeição, o que representaria uma derrota pessoal por se tratar de seu filho.

Os sinais iniciais emitidos pelos senadores preocupam. Um primeiro placar esboçado por emissários do presidente aponta que o parlamentar teria hoje o apoio de 8 dos 17 integrantes da comissão, o que demonstra pouca folga em uma eventual votação.

A previsão de um placar apertado no colegiado já leva auxiliares presidenciais a considerarem fundamental uma ação reforçada junto ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Mesmo que o governo sofra uma derrota na comissão, por exemplo, o cenário adverso pode ser revertido no plenário (basta maioria simples para aprovação).

Aliados de Alcolumbre afirmam que, embora não tenha não gostado da indicação, ele não pretende trabalhar contra o filho do presidente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.