Descrição de chapéu Brexit

Em 1º discurso ao Parlamento, Johnson promete renegociar acordo do brexit

Premiê ameaçou retirar país da União Europeia sem pacto de transição caso termos não sejam revistos

Londres | Reuters

Em seu primeiro discurso ao Parlamento britânico como primeiro-ministro, Boris Johnson prometeu nesta quinta-feira (25) negociar novas condições para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Ele afirmou, ainda, que caso os europeus não aceitem rever os termos, retiraria o país do bloco sem acordo —o chamado "no deal". 

"Nossa missão é entregar o brexit no dia 31 de outubro, com o objetivo de unir e reenergizar o Reino Unido, fazendo deste país o melhor lugar do mundo", disse Johnson, no que foi visto como um eco ao slogan "Make America Great Again" (torne a América grande de novo) do presidente americano, Donald Trump.

Boris Johnson faz primeiro discurso ao Parlamento britânico como primeiro-ministro
Boris Johnson faz primeiro discurso ao Parlamento britânico como primeiro-ministro - Jessica Taylor/Parlamento Britânico/AFP

O premiê afirmou ainda que o Reino Unido poderia se tornar a economia mais próspera da Europa até 2050, um feito que significaria deixar para trás a França e superar a Alemanha.

Os britânicos têm até o dia 31 de outubro para definir a sua saída do bloco. Os termos do acordo de divórcio foi negociado por meses pela predecessora de Johnson, Theresa May, que não conseguiu o aval do Parlamento

Johnson aposta que a ameaça do impacto econômico de uma saída sem acordo convença França e Alemanha, as principais potências da União Europeia, a renegociar as condições do brexit. 

Em seu discurso, Johnson criticou um dos pontos mais sensíveis do acordo, chamado de "​backstop" —mecanismo previsto para evitar a volta de controles alfandegários na fronteira entre as Irlandas, única faixa de terra em que Reino Unido e UE se tocam (a República da Irlanda integra o consórcio europeu).

O premiê afirmou que não aceitaria o mecanismo, que prevê que o Reino Unido continue a integrar, de forma temporária, uma união aduaneira com a União Europeia. 

"Deve ficar muito claro que o caminho para chegarmos a um acordo passa por abolirmos o 'backstop'", disse. 

Michel Barnier, negociador do brexit do lado europeu, prontamente rejeitou a exigência de Johnson. 

"Como sugerido em seu discurso bastante combativo, nós precisamos estar prontos para uma situação na qual ele dê prioridade ao planejamento de uma saída sem acordo, em parte para pressionar os 27 [países que compõem a UE]", escreveu Barnier em comunicado enviado aos Estados membros do consórcio.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.