Descrição de chapéu Governo Trump

Imigrantes são mantidos em condições 'horríveis', dizem congressistas dos EUA

Grupo de deputados visitou instalações no Texas onde pessoas detidas na fronteira são mantidas

Clint (EUA) | Reuters

Imigrantes mantidos em centros de detenção do lado americano da divisa com o México sofrem abusos psicológicos dos agentes de fronteira e vivem em condições horríveis, segundo um grupo de congressistas dos EUA que visitou estes locais nesta segunda (1º). 

A comitiva, formada principalmente por deputados de ascendência hispânica, foi a instalações nas cidades de El Paso e Clint, ambas no Texas, após uma série de denúncias nos dois locais. 

A deputada democrata Alexandria Ocasio-Cortez após visitar centro de detenção no Texas
A deputada democrata Alexandria Ocasio-Cortez após visitar centro de detenção no Texas - Luke Montavon - 1º.jul.19/AFP

A democrata Alexandria Ocasio-Cortez criticou o tratamento dado aos imigrantes e afirmou que um deles relatou que um agente chegou a ameaçar obrigá-lo a tomar água da privada.

"Depois de eu conseguir entrar em uma cela com mulheres e começar a conversar com elas, uma delas descreveu o tratamento dado pelos oficiais como uma guerra psicológica", disse, nas redes sociais.

Também presente na visita, a democrata Judy Chu fez coro com a correligionária. "Nunca me esquecerei da imagem de estar em uma cela vendo 15 mulheres com lágrimas no rosto enquanto elas contavam como foram separadas de seus filhos, como não têm acesso a água potável e como não sabem quando vão poder sair, já que algumas estão lá há mais de 50 dias", afirmou. 

Na segunda, o site americano ProPublica publicou reportagem que mostra como agentes da patrulha de fronteira dos Estados Unidos fizeram piadas sobre a morte de imigrantes e postaram mensagens sexistas   em um grupo secreto no Facebook sobre a presença de Ocasio-Cortez nos centros de detenção. 

A visita às instalações também foi alvo dos agentes, e um deles chegou a afirmar que deveriam jogar comida em Ocasio-Cortez e Veronica Escobar, outra das deputadas que integraram a comitiva. 

A Patrulha de Fronteira americana vem enfrentando uma série de críticas devido às mortes de imigrantes sob seus cuidados e o tratamento dada às pessoas detidas em suas instalações.   

O CBP (Agência de Alfândega e Proteção de Fronteira) não quis comentar especificamente as declarações das deputadas, mas na segunda-feira lamentou o caso e afirmou que as declarações dos agentes nos grupos secretos feriam suas regras de conduta. 

O presidente Donald Trump fez do combate à imigração ilegal uma das prioridades de seu governo e viu um aumento no número de detenções na fronteira —foram 132 mil em maio, maior número em mais de uma década. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.