Londres convoca diplomata do Irã por navio apreendido

Reino Unido afirma à ONU que embarcação foi abordada em águas territoriais de Omã de forma ilegal

Genebra e Londres | Reuters e AFP

O Reino Unido convocou neste sábado (20) o mais alto diplomata do Irã no país após a apreensão pelo país persa de um petroleiro de bandeira britânica no estreito de Hormuz.

O secretário do Exterior britânico, Jeremy Hunt, afirmou ter conversado com o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, e expressado seu "extremo desapontamento" com a apreensão do navio Stena Impero, na sexta (19).

Um membro da Guarda Revolucionária desce de rapel de um helicóptero para o Stena em foto retirada de um vídeo em foto de julho de 2019
Um membro da Guarda Revolucionária desce de rapel de um helicóptero para o Stena em foto retirada de um vídeo em foto de julho de 2019 - Reuters

"Acabo de falar com Zarif e expressei meu extremo desapontamento que, depois de ter me garantido no sábado passado que queria diminuir a tensão, eles se comportaram da maneira oposta", afirmou Hunt em uma rede social.

"Isso tem a ver com ações e não palavras, se queremos encontrar uma solução. A navegação britânica deve ser e será protegida", acrescentou.

Por sua parte, Zarif afirmou ter dito a Hunt que o Stena Impero deve passar por um processo legal por ter violado regulações marítimas, segundo a agência de notícias estatal Isna. 

A secretária da Defesa britânica, Penny Mordaunt, rejeitou a explicação, qualificando a apreensão de "ato hostil".

Além disso, o Reino Unido também afirmou ao Conselho de Segurança das Nações Unidas neste sábado que a embarcação foi abordada quando estava em águas territoriais de Omã e que a ação iraniana “constitui interferência ilegal”.

“O navio estava exercendo seu direito legal de transitar pela passagem em um estreito internacional, conforme a lei”, escreveu a representação ao conselho. 

“A lei internacional exige que o direito de trânsito não seja impedido e, portanto, as ações iranianas constituem uma interferência ilegal”, diz a carta segundo a agência Reuters. O documento também foi entregue ao Secretário das Nações Unidas António Guterres.

Teerã, porém, afirma que o navio foi apreendido pela Guarda Revolucionária Iraniana depois de se envolver em um incidente com um pesqueiro iraniano e está detido no porto de Bandar Abbas para investigações. 

Segundo o chefe da Organização Marítima e de Portos na região, Allahmorad Afifipour, o navio ficará detido com seus 23 tripulantes enquanto o incidente é esclarecido.

A agência semiestatal Tasnim publicou dois vídeos do navio neste sábado, cuja autenticidade não pôde ser comprovada. Em um deles, a embarcação aparece ancorada em alto mar; no outro, botes e um helicóptero se aproximam do navio e membros da guarda iraniana são vistos embarcando.

O episódio na mais importante rota de comércio global de petróleo ocorre duas semanas depois de o Reino Unido apreender o petroleiro iraniano Grace 1, no estreito de Gibraltar, sob acusação de violação de sanções da União Europeia contra a Síria. 

"As ações de ontem [sexta] no golfo mostram sinais preocupantes de que o Irã pode estar escolhendo um caminho perigoso de comportamento ilegal e desestabilizador após a detenção legal do petroleiro que ia para a Síria, em Gibraltar", afirmou Hunt. 

Um alto comandante da Guarda Revolucionária, general Mohsen Rezai, afirmou em uma rede social que não quer uma guerra, mas "não vamos ficar para trás na hora de reciprocar". 

Os EUA, que aumentaram as sanções contra o Irã em maio com o objetivo de impedir suas exportações de petróleo, têm alertado para ameaças iranianas contra a navegação no estreito. 

Stena Bulk, dona do navio apreendido, afirmou que está preparando uma requisição formal para visitar a tripulação, que inclui indianos, russos, letões e filipinos. 

"Nossos seguradores na região entraram em contato com o chefe de assuntos marítimos do porto de Bandar Abbas, que nos informou que nossa tripulação está em boa saúde", afirmou a empresa em uma nota. 

França, Alemanha e a União Europeia se uniram ao Reino Unido na condenação do Irã pelo incidente. Eles são signatários do acordo nuclear iraniano de 2015, abandonado pelos EUA no ano passado. 


Entenda o histórico de ataques

12.mai
Emirados Árabes Unidos afirmam que que quatro navios foram atacados nas proximidades de Fujairah (um dos sete emirados que formam o país)

13.mai
Arábia Saudita afirma que teve dois navios sabotados no Golfo Pérsico

13.jun
Dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, são atingidos por explosões no Golfo de Omã; EUA afirmam que minas marítimas foram usadas, divulgam suposto vídeo do ataque e responsabilizam o Irã, que nega

14.jun
Presidente da companhia dona do navio japonês contraria os EUA e afirma que embarcação foi atingida por objetos voadores

Grupo rebelde houthi, que é apoiado pelo Irã, realiza uma série de ataques com drones a aeroporto de Abha, na Arábia Saudita (reino é aliado dos Estados Unidos)

15.jun
Irã convoca embaixador do Reino Unido em Teerã após Londres acusar a república islâmica pelos ataques contra petroleiros no golfo de Omã

17.jun
Exército dos EUA divulga fotos que supostamente mostram membros da Guarda Revolucionária do Irã removendo uma mina de um petroleiro que sofreu ataque

20.jun
Irã derruba drone americano que estaria violando seu espaço aéreo às margens do golfo de Omã

23.jun
Trump desiste de ação militar contra o Irã na última hora; EUA realizam ataque ciberataque que desabilitou sistemas no lançamentos de mísseis e foguetes

4.jul
A pedido dos EUA, britânicos apreendem petroleiro iraniano no estreito de Gibraltar; navio estaria violando as sanções da ONU. Irã convoca embaixador britânico em Teerã novamente

5.jul
Irã ameaça apreender petroleiro britânico em retaliação

11.jul 
Reino Unido afirma que Irã tentou bloquear petroleiro britânico no estreito de Hormuz, mas que sua Marinha interveio e a passagem foi liberada

18.jul 
Irã afirma que apreendeu no estreito de Hormuz, no domingo (14), um petroleiro estrangeiro com com 12 tripulantes a bordo; navio estaria contrabandeando combustível para o Golfo

18.jul
Trump afirma que EUA derrubaram drone iraniano no estreito de Hormuz por voar perto demais de uma embarcação americana

19.jul 
Britânicos condenam apreensão de dois petroleiros pelo Irã, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, mas operado por empresas do Reino Unido; Teerã afirma que apenas o navio britânico foi apreendido

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.