Netanyahu adverte Hizbullah de represálias 'devastadoras' em caso de ataque

Declaração foi feita após líder do grupo libanês afirmar que foguetes alcançariam Tel Aviv

Jerusalém | AFP

O primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, advertiu neste domingo (14) que haverá represálias "devastadoras" contra o Hizbullah, depois de o líder do grupo xiita libanês, apoiado pelo Irã, declarar que seus foguetes poderiam alcançar Tel Aviv.

"Durante este fim de semana, ouvimos [Hasán] Nasralá se gabar de seus projetos de ataque", declarou Netanyahu no início do conselho de ministros semanal. "Sejamos claros. Se Hizbullah se atrever a cometer o erro de atacar Israel, vamos impor um golpe militar devastador", disse o primeiro-ministro.

O chefe do Hizbullah, Hasán Nasralá, declarou na sexta-feira (12) que Israel não se "livraria" no caso de um conflito entre Irã e Estados Unidos.

"Quem disse que Israel se livraria se houvesse uma guerra contra o Irã?", disse Nasralá em uma longa entrevista transmitida na noite de sexta no canal de televisão do Hizbullah, Al Manar.

"O primeiro a bombardear Israel será o Irã", complementou e afirmou que o "Irã tem capacidade de bombardear Israel com força e ferocidade".

Netanyahu afirmou na semana passada que os aviões de combate F-35 israelenses "podem chegar a qualquer lugar do Oriente Médio, incluindo o Irã".

O Hizbullah é considerado pelos Estados Unidos uma organização terrorista e é o único grupo que não se desarmou depois da guerra civil libanesa entre 1975 e 1990.

Tem também papel político importante, já que conseguiu 13 assentos no Parlamento no ano passado e três cargos no governo atual.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.