Países europeus aceitam receber migrantes de navio bloqueado pela Itália

Governo italiano havia impedido embarcação com 131 pessoas de atracar no país

Bruxelas | AFP

Vários países europeus chegaram a um acordo para o desembarque e distribuição dos 131 migrantes que se encontram a bordo do navio italiano Gregoretti, cujo desembarque tinha sido proibido pelo governo da Itália. 

O ministro do Interior, Matteo Salvini, havia vetado que um navio da própria guarda-costeira italiana atracasse no país, pois ele transportava migrantes resgatados de um naufrágio.​

Migrantes que foram resgatados pela guarda costeira da Líbia na semana passada, ao chegarem a Trípoli - Ismail Zitouny - 26.jul.2019/Reuters

Após negociações, França, Alemanha, Portugal, Luxemburgo e Irlanda, bem como a Igreja Católica, aceitaram se responsabilizar por esses migrantes, que ficaram dias no navio Gregoretti. 

A Comissão não especificou a distribuição final dos migrantes, mas mais da metade deve permanecer na Itália a cargo da Igreja.

Com este anúncio, concretiza-se o acordo divulgado na semana passada para implementar um "mecanismo de solidariedade" entre 14 países da UE, cujo funcionamento passa pelo desembarque anterior de migrantes na Itália e sua posterior distribuição entre os estados que assinaram o compromisso. 

Salvini já havia permitido na segunda-feira o desembarque dos menores a bordo do navio, mas condicionou a saída das outras pessoas a um acordo de redistribuição entre os países da UE. 

A Guarda Costeira italiana ajudou migrantes provenientes da Líbia na última quinta-feira (25), no mesmo dia em que outros 110 morreram ou desapareceram em um naufrágio na região. Após o resgate, eles foram transferidos para o Gregoretti, navio da marinha italiana.

Salvini atua fortemente para conter o fluxo de migrantes que chega à Itália vindos do norte da África. Ele também proibiu que barcos de ONGs resgatassem migrantes em alto mar na Itália, e acusou entidades humanitárias de serem cúmplices de traficantes de pessoas. 

Nos meses do meio do ano, durante o verão no hemisfério norte, aumenta o número de barcos que tentam cruzar o Mediterrâneo rumo à Europa, devido à melhora das condições do mar. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.