Descrição de chapéu Governo Trump

Senado não derruba veto, e Trump poderá vender armas à Arábia Saudita

Senadores não conseguiram atingir quórum para aprovar leis que proibiam vendas

Washington | Reuters

O Senado americano não conseguiu derrubar vetos do presidente Donald Trump a leis que proibiam a venda de certos tipos de armas a Arábia SauditaEmirados Árabes Unidos (EAU) e outros países.

Congressistas esperavam que a proibição aumentasse a pressão diplomática sobre o reino saudita, principalmente em relação a violações de direitos humanos e a mortes de civis na guerra do Iêmen —o conflito opõe os sauditas e os EAU aos rebeldes houthis, apoiados pelo Irã. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o príncipe da Arábia Saudita Mohammed bin Salman durante o G20, em Osaka
O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o príncipe da Arábia Saudita Mohammed bin Salman durante o G20, em Osaka - Kevin Lamarque - 28.jun.19/Reuters

Em maio, o governo Trump anunciou que prosseguiria com as vendas de mais de US$ 8 bilhões (R$ 30,3 bilhões) em equipamentos militares. Para evitar uma consulta ao Congresso, a Casa Branca declarou o Irã, rival histórico dos sauditas, uma "ameaça fundamental" aos EUA, o que ofereceu menos restrições ao Executivo neste tema. 

 

Em resposta, no fim de junho, Senado e Câmara aprovaram leis vetando a comercialização das armas. Porém, nesta segunda-feira, o Senado não conseguiu atingir o quórum de dois terços dos votos para derrubar os vetos presidenciais. 

A maioria dos senadores pertence ao Partido Republicano, o mesmo do presidente. ​

Os legisladores adotaram um posicionamento mais duro com a Arábia Saudita após o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi no consulado do reino em Istambul, em 2018.

Trump já afirmou que interromper a venda de armas ao reino enfraqueceria a relação com os sauditas, aliados de longa data dos EUA, além de comprometer a competitividade da indústria de defesa americana. 

A liberação do comércio de equipamentos militares com a Arábia Saudita ocorre em meio à escalada de tensão entre EUA, Arábia Saudita e Irã.

Desde o início de maio, uma série de navios de aliados americanos foram atacados na região. Não há informações sobre quem estaria por trás dos episódios; americanos e sauditas culpam o Irã.


Entenda o histórico de ataques no golfo Pérsico

12.mai
Emirados Árabes Unidos afirmam que que quatro navios foram atacados nas proximidades de Fujairah (um dos sete emirados que formam o país)

13.mai
Arábia Saudita afirma que teve dois navios sabotados no golfo Pérsico

13.jun
Dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, são atingidos por explosões no golfo de Omã; EUA afirmam que minas marítimas foram usadas, divulgam suposto vídeo do ataque e responsabilizam o Irã, que nega

14.jun
Presidente da companhia dona do navio japonês contraria os EUA e afirma que embarcação foi atingida por objetos voadores

Grupo rebelde houthi, que é apoiado pelo Irã, realiza uma série de ataques com drones a aeroporto de Abha, na Arábia Saudita (reino é aliado dos Estados Unidos)

15.jun
Irã convoca embaixador do Reino Unido em Teerã após Londres acusar a república islâmica pelos ataques contra petroleiros no golfo de Omã

17.jun
Exército dos EUA divulga fotos que supostamente mostram membros da Guarda Revolucionária do Irã removendo uma mina de um petroleiro que sofreu ataque

20.jun
Irã derruba drone americano que estaria violando seu espaço aéreo às margens do golfo de Omã

23.jun
Trump desiste de ação militar contra o Irã na última hora; EUA realizam ataque ciberataque que desabilitou sistemas no lançamentos de mísseis e foguetes

4.jul
A pedido dos EUA, britânicos apreendem petroleiro iraniano no estreito de Gibraltar; navio estaria violando as sanções da ONU. Irã convoca embaixador britânico em Teerã novamente

5.jul
Irã ameaça apreender petroleiro britânico em retaliação

11.jul 
Reino Unido afirma que Irã tentou bloquear petroleiro britânico no estreito de Hormuz, mas que sua Marinha interveio e a passagem foi liberada

18.jul 
Irã afirma que apreendeu no estreito de Hormuz, no domingo (14), um petroleiro estrangeiro com com 12 tripulantes a bordo; navio estaria contrabandeando combustível para o Golfo

18.jul
Trump afirma que EUA derrubaram drone iraniano no estreito de Hormuz por voar perto demais de uma embarcação americana

19.jul 
Britânicos condenam apreensão de dois petroleiros pelo Irã, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, mas operado por empresas do Reino Unido; Teerã afirma que apenas o navio britânico foi apreendido

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.