Senegal apreende 800 kg de cocaína escondidos em carros vindos do Brasil

Carga estava em veículos a bordo de um navio no porto de Dacar

Dacar | Reuters e AFP

A alfândega do Senegal apreendeu cerca de 800 kg de cocaína procedentes do Brasil e escondidos em 15 veículos a bordo de um navio no porto de Dacar, anunciaram autoridades no domingo (30), na mais recente de uma série de apreensões ao largo da costa da África Ocidental neste ano. 

Outros 238 kg de cocaína foram apreendidos em 26 de junho, também escondidos em veículos novos, em um navio oriundo do porto brasileiro de Paranaguá, com destino a Luanda.

Cocaína apreendida em navio do Senegal em porto na Espanha, em 2003 - Miguel Riopa - 13.out.03/AFP

Ao menos 15 pessoas de nacionalidade senegalesa foram presas em conexão com o último caso, segundo a imprensa local. 

As apreensões de cocaína são comuns no Senegal, um dos principais pontos de trânsito para passageiros e mercadorias na África Ocidental.

Na semana passada, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime divulgou que 3,4 toneladas de cocaína foram apreendidas no continente africano em 2017, retornando aos níveis de quatro anos antes. 

O aumento vem depois de o índice cair para 1,2 tonelada em 2015, embora os dados provavelmente subestimem a extensão do tráfico de drogas no continente.

A apreensão recorde de cocaína no Senegal ocorreu em julho de 2007, com cerca de 2,5 toneladas e valor estimado em mais de US$ 300 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão). Vários cidadãos latino-americanos foram presos, julgados e sentenciados.

As apreensões na África Ocidental estão em alta neste ano, com quantidades incomumente grandes interceptadas.

Em janeiro, Cabo Verde apreendeu 9,5 toneladas de cocaína. Dois meses depois, a Guiné-Bissau registrou sua maior apreensão de cocaína ao interceptar 789 quilos em um caminhão de peixes.

Erramos: o texto foi alterado

A apreensão recorde de cocaína no Senegal foi de cerca de 2,5 toneladas, e não 2,4 mil toneladas, como estava indicado na primeira versão deste texto. A informação foi corrigida.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.