Eduardo Bolsonaro defende que sua sabatina para embaixador não seja secreta

Deputado e filho do presidente depende de aprovação do Senado para obter posto em Washington

Ricardo Della Coletta
Brasília

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) defendeu nesta quinta-feira (15) que a sabatina na Comissão de Relações Exteriores que deve analisar sua indicação para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos não seja secreta. 

Dispositivos na Constituição e no regimento do Senado determinam que as sabatinas sejam secretas —quando apenas senadores podem participar—, mas esses eventos são tradicionalmente transmitidos e, assim, podem ser acompanhadas por visitantes e jornalistas. 

O deputado Eduardo Bolsonaro (ao centro), ao lado do pai, o presidente Jair Bolsonaro, e do prefeito de Miami, Francis Suarez, em Brasília - Marcos Corrêa/PR

"Uma pessoa me falou sobre essa possibilidade [de a sabatina ser secreta], mas não é o que eu pretendo. Eu acho que há um interesse público de assistir a essa sabatina e eu acredito que é até um ato democrático você expor, não só para os senadores que vão votar, mas para a população brasileira, tudo o que está acontecendo ali dentro", declarou Eduardo. 

O parlamentar se reuniu nos últimos dias com senadores. Segundo contou, esteve recentemente com Irajá ABreu (PSD-TO), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Espiridião Amim (PP-SC), Mailza Gomes (PP-AC) e Vanderlan Cardoso (PP-GO).

Na semana passada, também se reuniu com o presidente da Comissão de Relações Exteriores, Nelsinho Trad (PSD-MS) e com o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), favorito para relatar sua indicação. 

A expectativa é de que o presidente Jair Bolsonaro designe em breve seu filho para a embaixada em Washington. Depois de formalizada a indicação, Eduardo precisará passar por uma sabatina na Comissão de Relações Exteriores e por duas votações: uma no colegiado (de caráter consultivo) e outra no plenário da Casa.

O próprio presidente reconheceu nesta quarta-feira (14) que há dificuldades para a aprovação do nome de seu filho. Bolsonaro disse que soldagens do Planalto apontam para uma "vantagem apertada" e que o governo não pode correr riscos 

Nesta quinta, Eduardo Bolsonaro afirmou estar "muito esperançoso". "As conversas que eu tenho tido [com os senadores] são animadoras. Certamente a sabatina vai ser um momento crucial, em que vou poder demonstrar meu conhecimento, habilidades e minha competência para assumir esse tão importante cargo", disse a jornalistas. 

"E se eu for merecedor dos votos dos senadores, certamente chegarei aos Estados Unidos com todo o gás para bem representar os interesses do Brasil", concluiu. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.