EUA emitem mandado para confiscar petroleiro iraniano em Gibraltar

Segundo Washington, navio está ligado à organização terrorista do Irã

Gibraltar | Reuters

Os Estados Unidos emitiram mandado para confiscar um navio petroleiro iraniano, capturado pela Marinha britânica em 4 de julho, em meio ao conflito entre Teerã e o Ocidente. 

É a última tentativa de Washington para impedir que o navio saia de Gibraltar. 

O navio, chamado Grace 1, foi apreendido pelos fuzileiros da marinha britânica na boca ocidental do Mediterrâneo, sob suspeita de que transportava petróleo à Síria, o que representa uma violação das sanções da União Europeia. 

No canto direito, a popa do navio Grace 1. A corrente de sua âncora está atirada ao mar.
Petroleiro iraniano, Grace 1, ancorado em Gibraltar enquanto aguarda decisão judicial para sua liberação - Reuters

Gibraltar suspendeu a ordem de detenção na quinta-feira (15), depois que o ministro-chefe do território britânico afirmou que Teerã garantiu, por escrito, que a carga não seria levada à Síria. Na sexta-feira (16), o Grace 1 estava pronto para seguir viagem. 

No entanto, os Estados Unidos lançaram uma apelação legal separada contra o navio, impedindo a embarcação de zarpar com seus 2,1 milhões barris de petróleo. O país alega que as operações do Grace 1 têm relação com a Guarda Revolucionária do Irã (IRGC), designada pelos EUA como uma organização terrorista.

Uma corte federal de Washington emitiu o mandado para confiscar o navio petroleiro, o óleo que ele carrega e quase um US$ 1 milhão. 

“Uma rede de empresas de fachada teriam lavado milhões de dólares em apoio a essas remessas”, disse a procuradora federal do Distrito de Columbia, Jessie Liu, em comunicado à imprensa. “O esquema envolve múltiplas partes afiliadas ao IRGC e é promovido por meio das viagens enganosas do Grace 1.” 

O Departamento de Estado dos EUA não respondeu imediatamente ao pedido de comentário sobre o mandado, cuja aplicação foi endereçada ao “serviço de Marshals dos EUA e/ou qualquer outro oficial da lei devidamente autorizado”. 

O Pentágono recusou-se a comentar, assim como o Escritório de Relações Exteriores do Reino Unido. 

Questionado na sexta-feira sobre a intervenção dos EUA, o ministro-chefe de Gibraltar, Fabian Picardo, disse que ela seria sujeita à jurisdição da Suprema Corte de Gibraltar. “Pode retornar à corte, com certeza.”

ENTENDA O HISTÓRICO DE ATAQUES

12.mai
Emirados Árabes Unidos afirmam que que quatro navios foram atacados nas proximidades de Fujairah (um dos sete emirados que formam o país)

13.mai
Arábia Saudita afirma que teve dois navios sabotados no Golfo Pérsico

13.jun
Dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, são atingidos por explosões no Golfo de Omã; EUA afirmam que minas marítimas foram usadas, divulgam suposto vídeo do ataque e responsabilizam o Irã, que nega

14.jun
Presidente da companhia dona do navio japonês contraria os EUA e afirma que embarcação foi atingida por objetos voadores. Grupo rebelde houthi, que é apoiado pelo Irã, realiza uma série de ataques com drones a aeroporto de Abha, na Arábia Saudita (reino é aliado dos Estados Unidos)

17.jun
Exército dos EUA divulga fotos que supostamente mostram membros da Guarda Revolucionária do Irã removendo uma mina de um petroleiro que sofreu ataque

20.jun
Irã derruba drone americano que estaria violando seu espaço aéreo às margens do golfo de Omã

23.jun
Trump desiste de ação militar contra o Irã na última hora; EUA realizam ataque ciberataque que desabilitou sistemas no lançamentos de mísseis e foguetes

4.jul
A pedido dos EUA, britânicos apreendem petroleiro iraniano no estreito de Gibraltar; navio estaria violando as sanções da ONU

11.jul 
Reino Unido afirma que Irã tentou bloquear petroleiro britânico no estreito de Hormuz, mas que sua Marinha interveio e a passagem foi liberada

18.jul 
Irã afirma que apreendeu no estreito de Hormuz, no domingo (14), um petroleiro estrangeiro com 12 tripulantes a bordo; navio estaria contrabandeando combustível para o Golfo

18.jul
Trump afirma que EUA derrubaram drone iraniano no estreito de Hormuz por voar perto demais de uma embarcação americana

19.jul 
Britânicos condenam apreensão de dois petroleiros pelo Irã, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, mas operado por empresas do Reino Unido; Teerã afirma que apenas o navio britânico foi apreendido

4.ago
Irã anuncia ter capturado um navio iraquiano, que acusa de contrabando de petróleo​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.