'Ele é um bom homem', diz Trump sobre Bolsonaro na ONU

Presidente americano, porém, não confirma encontro com brasileiro em Nova York

Marina Dias
Nova York

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (23) que Jair Bolsonaro “é um bom homem”, mas não confirmou se vai se encontrar com o líder brasileiro em Nova York, durante a cúpula da ONU.

A declaração de Trump se deu quando o americano saía de um encontro sobre liberdade religiosa e foi questionado por duas repórteres brasileiras sobre uma possível reunião com o chefe do Planalto.

Bolsonaro chega nesta segunda a Nova York. Em recuperação de uma cirurgia que corrigiu uma hérnia decorrente da facada que levou na campanha, ele já havia cancelado encontros bilaterais durante sua passagem pela ONU, mas disse que jantaria com Trump mesmo assim.

O encontro, porém, não aparece na agenda oficial do brasileiro. Nela, além do discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU, na manhã de terça (24), está previsto apenas um encontro com o ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani.

A previsão inicial era que Bolsonaro chegasse aos EUA no domingo (22) e voltasse a Brasília na quarta (25), após encontros com presidentes de outros países para tentar, entre outras discussões, reverter a imagem negativa que ele e seu governo têm no exterior —principalmente após o agravamento da crise na Amazônia.

O presidente dos EUA, Donald Trump, à esq., recebe o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, na Casa Branca, em Washington - Jim Watson - 19.mar.2019/AFP

Após o procedimento cirúrgico, no entanto, a viagem foi reduzida em dois dias, e auxiliares afirmavam que o presidente poderia, no máximo, jantar com Trump e acompanhar a primeira-dama, Michelle, em um dos dois compromissos que ela tem durante a cúpula. 

Neste domingo (22), jornalistas foram informados pelo Itamaraty de que não há previsão oficial de presença em nenhum desses compromissos, e que a agenda ainda poderia ser alterada.

Integrantes do Planalto, por sua vez, mantêm a perspectiva de um encontro entre Bolsonaro e Trump, além do discurso do brasileiro.

Como é praxe, o líder americano faz uma recepção para os chefes de Estado na noite da véspera da abertura da Assembleia Geral.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.