Descrição de chapéu Diplomacia Brasileira

As forças do mal estão celebrando, diz Ernesto sobre vitória de Fernández

Chanceler brasileiro critica volta do kirchnerismo ao poder na Argentina

São Paulo

"As forças do mal estão celebrando. As forças da democracia estão lamentando pela Argentina, pelo Mercosul e por toda a América do Sul", disse o chanceler Ernesto Araújo nesta segunda (28) em relação ao resultado das eleições presidenciais na Argentina, que consagrou a volta do kirchnerismo ao poder.

 A eleição do domingo (27) no país vizinho coroou a estratégia da ex-presidente Cristina Kirchner, que surpreendeu ao decidir se candidatar a vice numa chapa liderada por Alberto Fernández.

A dupla derrotou Mauricio Macri, que deixa o país em meio a uma grave crise econômica: cerca de 32% da população está abaixo da linha de pobreza.

Na foto, o ministro Ernesto Araújo na Cpac, uma conferência conservadora - Bruno Santos/Folhapress

Em uma série de posts em uma rede social, Ernesto afirmou ainda que a eleição de Fernández traria "fechamento comercial, modelo econômico retrógrado e apoio às ditaduras".

Mais cedo na segunda, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que não cumprimentaria o mandatário recém-eleito e acrescentou: "Lamento. Não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal. O primeiro ato do Fernández foi já Lula Livre, dizendo que ele está preso injustamente. Já disse a que veio."

No dia da votação, antes de ser eleito, o então candidato kirchnerista publicou uma foto no Twitter em que faz a letra L com as mãos, símbolo do movimento Lula Livre, e parabenizou o ex-presidente brasileiro pelo aniversário de 74 anos completados no domingo.

"Também hoje faz aniversário meu amigo Lula, um homem extraordinário que está injustamente preso faz um ano e meio", escreveu Fernández. "Parabéns pra você, querido Lula. Espero te ver em breve." 


Quem parabenizou Alberto Fernández pela vitória

Sebastían Piñera, Chile
Martín Vizcarra, Peru
Evo Morales, Bolívia
Miguel Díaz-Canel, Cuba
Nayib Bukele, El Salvador
Juan Orlando Hernández, Honduras
Pedro Sánchez, da Espanha 
Andrés Manuel López Obrador, México
Laurentino Cortizo, Panamá
Mario Abdo, Paraguai
Nicolás Maduro, Venezuela
Governo do Uruguai
Edward Prado, embaixador dos EUA na Argentina 

Diferenças do cargo de vice-presidente do Brasil e da Argentina 
O vice argentino não apenas assume o lugar do presidente temporariamente ou de forma permanente. Ele também preside o Senado e tem poder de voto em decisões legislativas. 

Vices poderosos 
Na história argentina, 9 vices viraram presidentes. Entre eles estão Maria Estela Martínez de Perón, conhecida como Isabelita Perón, que assumiu após a morte do marido, em 1974, e Eduardo Duhalde, que perdeu a eleição à presidência em 1999, mas assumiu, designado pelo Congresso, após a renúncia de De La Rúa, em 2001

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.