Descrição de chapéu Diplomacia Brasileira

Para Bolsonaro, manifestações no Chile são atos de terrorismo

Em Pequim, presidente qualificou de terrorismo derramamento de óleo no Nordeste, caso fique provado que não foi acidente

Raquel Landim
Pequim

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (25), noite de quinta no Brasil, que as manifestações no Chile foram um “ato terrorista”.

“O problema do Chile foi gravíssimo. Aquilo não é manifestação nem reivindicação. São atos terroristas”, disse.

O país vive uma onda de protestos desde sexta-feira (18), quando o governo chileno anunciou um reajuste na tarifa do metrô, que posteriormente foi suspenso. 

​Bolsonaro voltou a afirmar que tem conversado com o ministério da Defesa, caso ocorra episódios similares no Brasil. “As tropas tem que estar preparadas para fazer a manutenção da lei e da ordem”, disse.

O presidente disse ainda que já recebeu informes de reuniões e atos preparatórios de possíveis “manifestações não legais” sendo planejadas no país.

Ele também classificou de “ato terrorista” o derramamento de óleo nas praias do Nordeste, caso fique comprovado que não foi um acidente. Análises feitas pela Petrobras e pela Universidade Federal da Bahia apontam que o óleo tem origem na Venezuela

Em postagem nas redes sociais, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, insinuou que o Greenpeace poderia estar por trás do incidente.

O presidente evitou culpar a ONG e disse que tinha que conversar com o ministro. No entanto, também fez críticas: “O Greenpeace não nos ajuda em nada”.

Para dar uma resposta à crise, o presidente diz que o ministério da Economia estuda o pagamento de um seguro defeso extra a pescadores, marisqueiros e caranguejeiros. O impacto fiscal estimado é de R$ 240 milhões por mês.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.