Senado convida ex-estrategista de Trump para audiência crítica a movimentos ambientalistas

Steve Bannon participará de reunião sobre 'mudanças climáticas e o jogo de poder internacional'

Ricardo Della Coletta
Brasília

A Comissão de Relações Exteriores do Senado convidou Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, para uma audiência pública que deve ser realizada em novembro.

Bannon foi chamado para ser um dos palestrantes de uma reunião sobre "mudanças climáticas, disputas comerciais globais e o jogo de poder internacional".

A realização da audiência foi aprovada na quarta-feira (2), por meio de um requerimento do senador Marcio Bittar (MDB-AC).

Segundo o parlamentar, o convite para que Bannon vá ao Senado foi uma ideia de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. 

Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, durante entrevista em Nova York
Steve Bannon, ex-estrategista de Donald Trump, durante entrevista em Nova York - Hiroko Masuike - 12.nov.17/The New York Times

O deputado federal, escolhido pelo pai, o presidente Jair Bolsonaro, para ser embaixador nos EUA​, costuma se reunir com Bannon em suas viagens aos Estados Unidos.

O ex-estrategista de Trump é líder da articulação de direita populista The Movement e escolheu Eduardo para ser o líder da aliança na América do Sul.

Além de Bannon, foram convidados para a mesma audiência pública Patrick Wood, autor do livro "Tecnocracia: O Caminho Difícil para a Ordem Mundial", e Bertrand de Orleans e Bragança, que escreveu "Psicose Ambientalista". Ambos são críticos de movimentos ambientalistas.

Em seu site, Wood afirma manter uma visão bíblica do mundo e se diz contrário ao que chama de "ataques modernos contra a soberania, direitos de propriedade e liberdade pessoal".

Segundo o escritor, esses ataques se traduzem na implementação de políticas das Nações Unidas, como a Agenda 21, que trata de compromissos socioambientais. 

O livro de Orleans e Bragança vai na mesma linha e tem como subtítulo "Os Bastidores do Ecoterrorismo para Implantar uma Religião Ecológica, Igualitária e Anticristã". 

"É um conjunto de pessoas com uma visão clara sobre o mundo, sobre esses temas da geopolítica e a questão ambiental", disse Bittar na sessão em que seu requerimento foi votado. 

Steve Bannon e Eduardo Bolsonaro durante encontro na Flórida
Steve Bannon e Eduardo Bolsonaro durante encontro na Flórida - Reprodução/Twitter

A data da reunião na Comissão de Relações Exteriores ainda não foi definida, mas o senador declarou que os convidados estrangeiros participarão de um evento em São Paulo no dia 2 de novembro.

A ideia é que eles aproveitem a agenda na capital paulista para viajar a Brasília. 

Ao solicitar a reunião, Bittar citou a crise ambiental gerada pela onda de queimadas na Amazônia e disse que o Brasil "se viu sob ataque de diversas entidades ligadas a agendas ambientalistas".

"O debate ambiental, cada vez mais, toma contornos que extrapolam o cientificismo e se espalha pela geopolítica", argumentou o parlamentar.

"A defesa das pautas ambientais se utiliza, muitas vezes, de argumentos falaciosos, de falsificações e de extrapolações para defender teses que têm como único objetivo a promoção dos objetivos de grupos de interesse globais."

No dia da votação do requerimento, outros dois nomes foram incluídos entre os convidados: o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) e o presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Fabiano Contarato (Rede-ES).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.