Descrição de chapéu The New York Times

Estudante é processada por encorajar suicídio de namorado nos EUA

Promotoria diz que ela abusou psicologicamente do jovem durante relacionamento

Boston e São Paulo | The New York Times

Uma aluna da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, foi denunciada por homicídio culposo após seu namorado se suicidar no dia da formatura dele, anunciou a promotoria local na segunda-feira (28).

O crime do qual Inyoung You, 21, é acusada ocorre quando uma pessoa mata outra sem intenção, por negligência, imprudência ou imperícia.

Alexandre Urtula, 22, jogou-se de um prédio de estacionamentos em 20 de maio —sua namorada estava presente no momento, segundo a acusação. Naquele dia, a família dele viajou de New Jersey a Boston para comparecer à sua formatura. Ele morreu cerca de 90 minutos antes do início da cerimônia.

A promotora responsável pelo caso, Rachael Rollins, afirmou que You abusou física, verbal e psicologicamente de Urtula durante o ano e meio em que estiveram juntos —o abuso teria se intensificado nos dias que precederam a morte dele. 

Rollins afirmou que colegas e familiares do jovem relataram os episódios de abuso, que também aparecem no histórico de mensagens trocadas entre os dois e no diário de Urtula. You teria dito centenas de vezes ao namorado que ela, a família dele e o mundo ficariam melhores sem ele, segundo a promotora. 

A denúncia argumenta que o comportamento de You foi "inconsequente e irresponsável". "Ela criou condições que colocaram a vida dele em risco", disse Rollins.

O caso é similar ao de Michelle Carter, que foi condenada pelo mesmo delito em 2017 por repetidamente enviar mensagens de texto incentivando Conrad Roy, um amigo próximo, a cometer suicídio —o processo atraiu grande interesse nos EUA e foi retratado em um documentário do canal HBO.  

You estudava economia e se formaria em maio de 2020. Em agosto, ela abandonou as aulas e atualmente está na Coreia do Sul, onde nasceu. A promotora disse não saber se ela retornará voluntariamente aos Estados Unidos para responder ao processo. 

Tramita na Assembleia Legislativa do estado de Massachusetts, onde os dois casos ocorreram, um projeto de lei chamado "Lei de Conrad", que criminalizaria o ato de coagir ou encorajar alguém a cometer suicídio —a pena seria de até cinco anos de prisão. 

No Brasil, instigar alguém a se suicidar ou prestar auxílio para que ela o faça é crime punível com dois a seis anos de prisão. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.