Homem esfaqueia deputado pró-Pequim após lhe dar flores em Hong Kong; veja

Vídeo mostra político sendo atacado no peito durante ato de campanha

Hong Kong

O homem se aproxima do político em campanha com um buquê de flores na mão. Entrega a ele, que agradece a gentileza, e pede para tirarem uma foto juntos. "Deixa eu pegar meu celular na bolsa", diz. Mas o que ele saca é uma faca, que enterra no peito de seu interlocutor.

A cena chocante aconteceu em Hong Kong nesta quarta-feira (6) e foi gravada em um vídeo que circula na internet (veja abaixo). O político atacado é Junius Ho, deputado pró-Pequim, que participava de um ato eleitoral na região de Tuen Mun, perto da fronteira com a China.​

Homem entrega flores ao deputado Junius Ho logo antes de esfaqueá-lo, em Hong Kong
Homem entrega flores ao deputado Junius Ho logo antes de esfaqueá-lo, em Hong Kong - Reprodução @liamstone_19 no Twitter

​Ho e seus colaboradores conseguiram imobilizar rapidamente o agressor, que gritava em cantonês: "Junius Ho, você é a escória".

De acordo com a polícia, três pessoas, incluindo o agressor, ficaram feridas no ataque. 

Ho, 57, estava consciente quando foi levado de ambulância para um hospital. 

Hong Kong, um território semiautônomo do sul da China, é cenário desde junho de protestos de ativistas que denunciam o que consideram uma interferência crescente de Pequim. 

Sem o vislumbre de uma solução política, a divisão ideológica entre os dois lados é cada vez maior e a violência se intensificou nas últimas semanas.

Advogado e deputado, Ho é, ao lado da chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, e do comandante de polícia Stephen Lo, uma das personalidades mais odiadas pelos manifestantes que protestam contra o governo.

Em julho ele foi filmado apertando as mãos de homens suspeitos de pertencer a grupos que, armados com bastões e cassetetes, agrediram manifestantes na estação de metrô de Yuen Long. Quarenta pessoas foram hospitalizadas.

Depois do ataque com faca, o escritório de Ho e os túmulos de seus pais foram saqueados. 

Os partidários de Pequim atacaram opositores do governo, sobretudo oito figuras do movimento pró-democracia. 

Em outubro, Jimmy Sham, líder de uma organização que está por trás dos protestos, foi agredido com um martelo. 

No domingo, um político pró-democracia teve uma orelha cortada em um ataque. 

O campo que defende mais democracia, no entanto, também é responsável por atos violentos. Os manifestantes agrediram recentemente pessoas que não concordavam com suas ideias. No sábado, um homem foi atacado e deixado nu e inconsciente no bairro de Mongkok.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.