Ao menos quatro pessoas são mortas em tiroteio em Jersey City

Confronto aconteceu em área de loja de conveniência; não há indicação de terrorismo

Nova York | AFP e Reuters

Um tiroteio deixou ao menos quatro pessoas mortas na tarde desta terça (10), em Jersey City, cidade vizinha a Nova York, após dois atiradores abrirem fogo próximo a uma loja de conveniência.

Houve uma troca de centenas de tiros com a polícia que durou mais de duas horas e paralisou o bairro de Greenvile, fazendo com que escolas fossem fechadas por medida de segurança.

Três civis e os dois atiradores suspeitos foram mortos dentro do estabelecimento —um supermercado kosher.

Policiais chegam em Jersey City, durante atentado com arma de fogo - Kena Betancur / AFP

O policial foi fatalmente ferido próximo a um cemitério localizado a pouco mais de 1 km de distância, informou o chefe da polícia local, Michael Kelly.

O tiroteio teria começado na região do cemitério, quando o agente de segurança tentou interceptar um dos atiradores.

 
Os suspeitos fugiram da área em um caminhão e acabaram no supermercado ​kosher, onde abriram fogo contra policiais e civis, informou o jornal New York Times, citando autoridades. Os investigadores acreditam que a loja foi escolhida aleatoriamente.

Segundo a polícia, não há indicação de que o crime tenha relação com terrorismo. A corporação também acredita que os atiradores agiram sozinhos.

O policial que morreu foi identificado como Joe Seals, um pai casado e com cinco filhos que estava na força de Jersey City desde 2006, disse o prefeito Steven Fulop a repórteres.

Outros dois policiais e um civil ficaram feridos na troca de tiros, mas estão em condição estável.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse em uma rede social que "nossos pensamentos e orações estão com as vítimas e suas famílias durante este período muito difícil e trágico".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.