Papa Francisco pede esperança às nações americanas imersas em 'agitação social e política'

Pontífice também citou conflitos na África e no Oriente Médio em sua mensagem de Natal

Vaticano | AFP

O papa Francisco pediu nesta quarta-feira (25) "esperança para todo o continente americano, onde várias nações estão passando por um período de agitação social e política", durante sua tradicional mensagem de Natal na praça de São Pedro.

O pontífice, que é argentino, lançou palavras específicas para a Venezuela, pedindo que "o pequeno menino de Belém anime o amado povo venezuelano" e que o país receba a ajuda de que precisa.

Vários países da América do Sul vêm passando por um período de turbulência, como é o caso do Chile, palco de manifestações contra o governo desde outubro, da Bolívia, que vive momento de incertezas desde a renúncia do presidente Evo Morales, da Colômbia, que viu uma série de protestos contra o presidente Iván Duque, e do Equador, que passou por forte agitação política contra medidas do presidente Lenín Moreno.

Papa Francisco acena do balcão da basílica de São Pedro, no Vaticano
Papa Francisco acena do balcão da basílica de São Pedro, no Vaticano - Alberto Pizzoli/AFP

Francisco também elogiou "os esforços daqueles que lutam para alcançar a justiça e a reconciliação, e se esforçam para superar as várias crises e as inúmeras formas de pobreza que ofendem a dignidade de cada pessoa".

O papa também exortou a comunidade internacional a "garantir a segurança no Oriente Médio, particularmente na Síria".

"Que Cristo inspire os governantes e a comunidade internacional a encontrar soluções que garantam a segurança e a coexistência pacífica dos que estão na região e ponha fim aos sofrimentos", disse o papa. "Que Cristo seja a luz para tantas crianças que sofrem a guerra e os conflitos no Oriente Médio e em vários países do mundo". 

O pontífice também pediu uma solução para a crise política no Líbano e denunciou a ação de grupos extremistas no continente africano, particularmente em Burkina Faso, Mali, Níger e Nigéria.

Ao falar das várias zonas do planeta que atravessam conflitos, o papa enfatizou que os habitantes da Terra Santa aguardam dias de paz, segurança e prosperidade.

Ele também mencionou as tensões sociais no Iraque e a grave crise humanitária no Iêmen. E se referiu à Ucrânia, "que aspira a soluções concretas para alcançar uma paz duradoura".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.