Descrição de chapéu Brexit

Reino Unido deve dificultar visto para imigrante sem qualificação

Saída da União Europeia permitirá que país adote normas mais restritivas

Londres

Controlar suas próprias regras de comércio exterior, a legislação e o sistema de imigração são os três principais focos do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, quando fala sobre sua proposta para o brexit.

Segundo os conservadores, se o partido obtiver maioria nas eleições desta quinta (12) e o país sair do bloco no final de janeiro de 2020, as novas regras de imigração valeriam a partir de 2021.

Nigel Farageposa em frente a cartaz com mensagem anti-imigração
Nigel Farage, líder do Partido do Brexit, posa em frente a cartaz da campanha do referendo sobre saída da União Europeia com mensagem anti-imigração em Londres, em 2016 - Stefan Wermuth - 16.jul.2016/Reuters

De acordo com o governo, cerca de 627 mil novos imigrantes entraram no país em 2018, acrescentando 283 mil pessoas à população em 2018. Cerca de 345 mil deixaram o país.

Na prática, Boris quer dificultar a entrada de estrangeiros sem qualificação e sem emprego garantido. 

Hoje, cidadãos europeus podem entrar e trabalhar no país, e a imigração de trabalhadores menos qualificados de outras nacionalidades é facilitada por regras da União Europeia (UE) que têm a reunião de famílias como um critério.

Com o brexit, o Reino Unido deixa de seguir regra da UE. 

No domingo (8), Boris divulgou seu plano para imigração, que teria três níveis. O primeiro seria um processo rápido para candidatos extremamente qualificados, empresários ou profissionais premiados.

O segundo compreenderia a emissão de vistos temporários para trabalhadores não qualificados, mas que atuem em setores com falta de mão de obra, como a agricultura em temporada de colheita.

O terceiro seria a adoção de um sistema que prioriza trabalhadores qualificados semelhante ao da Austrália, no qual são atribuídos pontos de acordo com idade, qualificação e experiência profissional dos candidatos. 

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.