Barrado da OMS pela China, Taiwan pede acesso a informações corretas sobre coronavírus

Ilha, considerada uma província rebelde por Pequim, registrou um caso do vírus

Taipei | Reuters

A exclusão de Taiwan das reuniões da OMS (Organização Mundial de Saúde) sobre o surto de coronavírus gerou uma união entre os partidos do país, algo raro de acontecer.

Taiwan não é membro da OMS devido a um veto da China, que considera a ilha uma província rebelde, sem direito a participar de órgãos internacionais como uma entidade independente.

Passageiros mascarados chegam ao aeroporto de Sungshan, na capital de Taiwan, Taipei, em 22.jan.2020 - Sam Yeh/AFP

Com isso, Taiwan foi impedida de participar da reunião de emergência do órgão sobre o novo vírus, que causa problemas pulmonares e matou ao menos 26 pessoas desde que foi detectado na cidade de Wuhan no mês passado. Taiwan registrou um caso da doença.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, reeleita neste mês com uma plataforma de confronto à China, pediu à OMS que deixe as questões políticas de lado e garanta acesso completo às informações sobre o vírus.

"Taiwan está na linha de frente da prevenção a uma epidemia global. Portanto, precisa ter espaço na OMS para que Taiwan participe", disse Tsai.

O principal partido de oposição, Kuomintang, que defende a proximidade com Pequim, defendeu que a prevenção à epidemia não tenha barreiras.

"Se Taiwan for deixada de fora dos trabalhos de prevenção da epidemia, haverá uma brecha, e isso não é benéfico para que a prevenção funcione para todo o mundo", declarou o partido, em comunicado.

A China disse que as queixas não fazem sentido e que ninguém se preocupa mais com o povo de Taiwan do que o governo chinês.

O centro de controle de doenças de Taiwan afirmou que tem canais de troca de informações com a China, mas também reclamou de falta de acesso aos dados da OMS.

Mike Ryan, diretor dos programas de emergência da OMS, anunciou na terça que trabalha de forma próxima com representantes da China e de Taiwan. Ele disse esperar que os dois governos criem ações conjuntas e trabalhem lado a lado para evitar a disseminação da doença. 

Segundo a OMS, as medidas protetoras gerais são:

  • Lavar frequentemente as mãos usando álcool em gel ou água e sabão
  • Quando tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com as mãos ou lenços (que devem ser jogados fora imediatamente)
  • Evitar o contato próximo com quem tiver febre e tosse
  • Em caso de febre, tosse e dificuldade para respirar, buscar ajuda imediata e compartilhar o histórico de viagens com os profissionais de saúde
  • O consumo de produtos animais crus ou pouco cozidos deve ser evitado
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.