British e outras empresas aéreas suspendem voos para a China por coronavírus

United, Cathay e Air Canada estão entre empresas que cancelaram ou reduziram viagens

Reuters

Companhias aéreas anunciaram a suspensão total ou parcial de voos para a China devido ao surto de coronavírus no país asiático.

British Airways, United, Air Canada e Cathay Pacific avisaram que vão, temporariamente, cancelar ou reduzir a quantidade de voos para cidades como Pequim e Xangai.

Nesta quarta-feira (29), a British Airways anunciou que suspendeu todos os voos diretos com chegada e partida da China continental, após um alerta do Reino Unido sobre viagens ao país durante o surto de coronavírus

Tripulação da Thai Airways desinfeta cabine de aeronave por causa do surto de coronavírus
Tripulação da Thai Airways desinfeta cabine de aeronave por causa do surto de coronavírus - Athit Perawongmetha/Reuters

A empresa informou que os cancelamentos têm efeito até o dia 31 de janeiro, enquanto a situação é analisada. O sistema de reservas do site, porém, não mostra nenhum voo direto saindo de Londres para Pequim e Xangai antes de março. 

 

A indonésia Lion Air, que até agora cancelou seis voos para a China, informou que suspenderá todas as viagens com destino ao país a partir de fevereiro.

Na terça (28), algumas empresas aéreas haviam feito anúncios semelhantes. A americana United suspendeu 24 voos com destino a Pequim, Xangai e Hong Kong entre 1º e 8 de fevereiro, alegando queda na demanda.

A finlandesa Finnair avisou que suspenderá os voos entre Helsinque e as cidades chinesas de Nanjing e Pequim de fevereiro até o fim de março

No mesmo dia, a Air Canada afirmou que cancelará voos selecionados para acomodar capacidade e demanda, e a Cathay Pacific, de Hong Kong, anunciou que vai reduzir progressivamente em 50% seus voos de e para a China continental, de 30 de janeiro até o fim de março, alinhada com diretrizes do governo e com as demandas do mercado.

A Air India vai cancelar seus voos partindo de Mumbai e de Déli para Xangai de 31 de janeiro a 14 de fevereiro.

A sul-coreana Air Seoul também suspendeu todos os voos para a China.

Outras empresas aéreas que mantiveram os voos tomaram medidas para tentar proteger a tripulação e os passageiros.

A China Airlines, de Taiwan, suspendeu refeições quentes, cobertores e jornais a bordo. A Thai Airways está usando um spray desinfetante nas cabines em todos os voos que voltam da China.

A Tailândia, segundo país mais afetado pelo surto, registrou 14 pessoas infectadas com o vírus até o início da manhã desta quarta.

A Singapore Airlines permitiu que sua tripulação use máscaras nos voos.

Uma redução das viagens aéreas para a China deve atingir a indústria de aviação. Em 2003, o surto de Sars fez encolher em 45% a demanda de passageiros na Ásia. 

O coronavírus matou mais de 130 pessoas na China até agora.

Também nesta quarta, o governo do Cazaquistão, que faz divisa com a China, anunciou a suspensão de todas as formas de transporte de passageiros para o país e a emissão de vistos para cidadãos chineses.

Os ônibus que circulam entre os dois territórios já foram cancelados, os trens pararão a partir de 1º de fevereiro, e os voos, a partir de 3 de fevereiro.

O país não registrou casos do vírus, mas isolou dezenas de pessoas que retornaram da China com sintomas de infecção respiratória e estão realizando exames adicionais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.