Trump discutiu demissão de embaixadora com empresário que dizia desconhecer

Áudio mostra conversa sobre diplomata na Ucrânia que seria obstáculo para investigação contra Joe Biden

São Paulo

​Áudio revelado neste sábado (25) mostra que, em abril de 2018, o presidente Donald Trump pediu a demissão da então embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia,  Marie Yovanovitch. As informações são do jornal The New York Times.

Na gravação, segundo a publicação, Trump aparece conversando com Igor Fruman e Lev Parnas, um empresário da Flórida que teve papel central na campanha para pressionar a Ucrânia a investigar a família do democrata Joe Biden, pré-candidato à Presidência. O encontro, gravado por Fruman, aconteceu em uma sala privativa no hotel do mandatário em Washington.

Parnas agiu na Ucrânia ao lado de Rudolph Giuliani, advogado pessoal do presidente.

Nessa reunião, foram discutidos diversos pontos da campanha para pressionar o governo ucraniano. Em um ponto, o empresário diz que Yovanovitch criticava o presidente. Trump responde: "Livre-se dela". A embaixadora deixou o cargo em abril de 2019.

O áudio foi revelado pelo advogado de Parnas, Joseph Bondy, após o início, no Senado, da apresentação dos argumentos da defesa do presidente no processo de impeachment.

Parnas já havia entregado aos investigadores uma série de mensagens de celular, fotos e anotações que evidenciam seu envolvimento —e o de Trump— na pressão sobre a Ucrânia.

Parte do material indica que Yovanovitch estava sendo vigiada por Robert Hyde, candidato republicano ao Congresso em Connecticut. Ela era vista como um impedimento à possível investigação contra os Biden e, portanto, precisava ser removida.

Hyde negou as acusações e afirmou que não estava monitorando a embaixadora. Trump já disse que não conhece Parnas, com quem posou em fotografias. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.