Descrição de chapéu BBC News Brasil

Harry e Meghan iniciam vida no Canadá; conheça as regras para imigrar

Processo é mais convidativo no país do que em outros lugares, mas pode ser extremamente burocrático

BBC News Brasil

O príncipe Harry chegou ao Canadá nesta terça-feira (21) para começar uma nova fase de sua vida, longe dos deveres reais.

Ali ele se reuniu com sua mulher, Meghan, e o filho deles, Archie, de oito meses.

homem ruivo sussurra no ouvido de mulher morena
Meghan Markle, a duquesa de Sussex, e princípe Harry - Getty Images

Assim como Harry, milhares de estrangeiros desembarcam todos os anos no Canadá em busca de um novo começo —entre eles, muitos brasileiros.

Pesa na decisão uma série de fatores, como qualidade de vida, segurança, saúde e educação gratuitas.

Isso sem falar numa política tradicionalmente favorável a imigrantes. Neste ano, por exemplo, o Canadá quer atrair cerca de 340 mil novos moradores.

O cenário contrasta com o de outros países, que vêm fechando as portas a estrangeiros, como Estados Unidos e Reino Unido.

O processo para fixar moradia por lá não é fácil, mas apresenta algumas vantagens em relação ao de outras nações.

Diferentemente de outros países, o Canadá não exige que o pedido de residência permanente seja atrelado a uma oferta de trabalho.

Harry e Meghan não têm visto de residência ou nacionalidade do Canadá —Meghan viveu lá quando foi protagonista da série "Suits", mas nasceu nos Estados Unidos.

Ainda que a rainha Elizabeth 2ª exerça a função de chefe de Estado (o Canadá é uma monarquia constitucional), membros da família real britânica não têm cidadania automática do país.

Ou seja, se o casal quiser realmente morar no Canadá, terá de solicitar um visto de residência permanente, como exige a lei —Harry, como britânico, e Meghan, como americana, podem passar até seis meses no país como turistas. Brasileiros precisam de visto de turista para entrar no Canadá e também podem permanecer no país nessa condição por seis meses.

Segundo dados do governo canadense, a comunidade brasileira no país é estimada em 30 mil pessoas ─e vem crescendo.

Em 2018 (últimos números disponíveis), o Canadá concedeu 3.950 vistos permanentes a brasileiros, um aumento de 88% ante 2017, de acordo com o Consulado Geral do Canadá no Brasil.

Críticos dizem, no entanto, que o processo de imigração, apesar de mais convidativo, é extremamente burocrático. Há relatos de trabalhadores qualificados que não conseguem exercer a mesma função do que em seu país de origem, como médicos ou outros profissionais da saúde.

Uma reportagem da prestigiada revista americana The Atlantic, publicada em 2018, diz que "ao redor do tapete de boas-vindas do Canadá, há uma cama de pregos".

"Se a imagem do país parece ser totalmente liberal, isso ocorre principalmente porque seus métodos de controle da imigração são simplesmente mais silenciosos, sutis e menos óbvios do que os americanos", diz o texto.

Como imigrar

Estudo ou trabalho?

Para quem quer se mudar para o Canadá, uma das opções é estudar no país. Para isso, é preciso um visto de estudante.

O Canadá é considerado um dos principais destinos no mundo para estudantes internacionais, oferecendo boas universidades, anuidades mais acessíveis e uma política de boas vindas a recém-chegados. A vantagem é que o país facilita a solicitação de residência permanente para estudantes internacionais após o término do estudo.

Outra alternativa, mais comum, é imigrar para trabalhar. Para quem não tem visto de trabalho, a partir de uma oferta de um empregador, precisa de um visto de residência permanente. O Canadá possui mais de 60 programas imigratórios para trabalhadores.

Diferentemente do Brasil, as Províncias (Estados) canadenses têm autonomia para determinar suas próprias regras de imigração. Já o governo federal estabelece alguns critérios como oferta de trabalho ou profissão por localidade, proficiência no idioma (inglês ou francês), faixa etária, experiência de trabalho e comprovação financeira.

Esses programas estão divididos em categorias. Confira:

Express Entry: alternativa mais comum e mais rápida para profissionais qualificados emigrar para o Canadá. O objetivo desse programa é atrair estrangeiros para ocupar vagas específicas e que exigem mão de obra qualificada no mercado canadense.

Em 2018, as profissões mais requisitadas foram, nessa ordem: engenheiros e designers de software, consultores e analistas de sistemas de informação, desenvolvedores de mídia interativa e programadores de computador, contadores e auditores financeiros, assistentes administrativos e profissionais de publicidade, marketing e relações públicas.

Alguns dos pré-requisitos são fluência no idioma (inglês ou francês, dependendo da Província), pelo menos um ano de trabalho contínuo e recursos mínimos de CA$ 12.960 (R$ 42 mil) para uma candidatura individual (o valor varia dependendo do número de membros da família).

A resposta costuma ser mais rápida que em outros programas —o prazo gira em torno de seis meses.

Faça aqui o teste para saber se você seria aceito como imigrante no Canadá por esse programa: https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/come-canada-tool-immigration-express-entry.html

Start-up Visa Program: designado a quem queira abrir um negócio no Canadá, gerando novos empregos no país ou entrando em sociedade em negócios já existentes.

Quebec-Selected Skilled Workers: exclusivo para a Província de Quebec, destina-se a trabalhadores altamente qualificados.

Self-Employed Program: voltado para trabalhadores autônomos com experiência comprovada, como atletas e artistas.

Family Sponsorship: destina-se a quem possua família residente ou com cidadania canadense mediante comprovação de renda.

Provincial Nominee: específico para cada Província, dependendo das necessidades de cada uma. É preciso consultar o site de cada uma delas em busca das oportunidades.

Atlantic Immigration Pilot: destina-se a trabalhadores ou estudantes que já tenham alguma relação com as Províncias Atlânticas do Canadá e que possuam uma oferta de emprego em uma dessas localidades.

Rural and Northern Immigration: voltado para trabalhadores qualificados que querem se mudar para as regiões mais ao norte do Canadá ou cidades menores, com o intuito de promover seu crescimento econômico. Um dos pré-requisitos é obter uma carta de recomendação da comunidade para a qual se pretende imigrar.

Agri-Food Immigration Pilot: designa-se a preencher as vagas do agronegócio canadense, particularmente no processamento de carne e produção de cogumelos. Detalhes desse programa serão divulgados a partir de março de 2020.

Caregivers: destina-se a pessoas que trabalham como cuidadoras, sendo de idosos, crianças ou pessoas com necessidades especiais.

Refugees and Asylum: exclusivo para quem está fugindo de seu país de forma forçada, por causa de guerra e/ou perseguição.

Especialistas em imigração advertem que há uma crescente quantidade de informações falsas circulando nas redes sociais sobre imigração para o Canadá e muitos se aproveitam da falta de conhecimento dos aspirantes a imigrantes para ganhar dinheiro.

As informações completas sobre como emigrar para o Canadá podem ser acessadas no site do governo canadense: https://www.canada.ca/en/services/immigration-citizenship.html

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.