Descrição de chapéu The New York Times

Mistério de dinheiro que aparecia em vilarejo no Reino Unido é solucionado

Pacotes com notas de 20 libras eram encontrados desde 2014, sem que ninguém soubesse sua origem

Iliana Magra
Londres | The New York Times

Durante quase seis anos, dinheiro parecia cair do céu nas ruas de um vilarejo no nordeste da Inglaterra. Os moradores de Blackhall Colliery encontravam regularmente pacotes com notas de 20 libras e entregavam à polícia. Cada um, em geral, chegava a 2.000 libras, ou cerca de R$ 10,9 mil.

Mas a origem desse dinheiro deixava as autoridades perplexas. Até que polícia revelou, nesta semana, que duas pessoas —que desejam ser conhecidas apenas como "bons samaritanos"— são responsáveis por espalhar os pacotes pela região, numa tentativa de "devolver algo à comunidade".

Pelo menos 26 mil libras (R$ 141 mil) foram achadas desde 2014, perto da rua principal de Blackhall Colliery, uma antiga aldeia de mineração com menos de 5.000 habitantes na costa inglesa do Mar do Norte.

A Polícia de Durham, responsável pelo condado, divulgou o mistério pela primeira vez em novembro, em um último esforço para encontrar a fonte do dinheiro. Consultas a moradores, organizações, correios e bancos locais não renderam nada, assim como os testes de impressões digitais.

O detetive John Forster com um dos pacotes de dinheiro deixados em Blackhall Colliery - Divulgação Polícia de Durham

"Esses pacotes são sempre deixados à vista, nas calçadas, por exemplo, e são encontrados por membros aleatórios do população, que os entregam às autoridades", disse John Forster, detetive da polícia de Durham, em comunicado em novembro, após o quarto pacote de 2019 ser dado à polícia. 

As notícias sobre o dinheiro misterioso se espalharam rapidamente, gerando especulações sobre quem ou o que estaria por trás dele. Os moradores ainda foram elogiados por sua honestidade, pois sempre entregavam os pacotes e só recebiam a quantia depois que ninguém a reivindicava.

Mas pelo menos uma parte do mistério foi resolvida na segunda (13), quando a polícia de Durham anunciou que duas pessoas anônimas haviam se identificado como os filantropos locais. A polícia as chamou de "bons samaritanos". 

Forster disse, na terça (14), que eles não escolheram Blackhall Colliery aleatoriamente. 

"Os dois indivíduos generosos haviam recebido lucros inesperados e disseram à polícia que queriam retribuir com algo", afirmaram as autoridades em comunicado. "[Um deles], uma mulher, explicou aos detetives que eles sentiam uma 'conexão emocional' com a aldeia após terem sido ajudados por um morador e, por isso, ela quis retribuir a bondade."

As duas pessoas deixaram maços de notas de 20 libras em lugares onde pessoas necessitadas, incluindo idosos e vulneráveis, provavelmente encontrariam, disse a polícia.

Forster declarou que, se aparecer mais dinheiro nas calçadas, os moradores devem entregá-lo à polícia. Eles provavelmente o receberão de volta, mas agora podem pelo menos se sentir bem ao usá-lo. Até então, quem encontrava as notas não ficava à vontade para gastá-las, de acordo com o detetive, por ter preocupações sobre sua origem.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.