No aniversário de Michelle Obama, Trump propõe alterar regras sobre merenda e liberar pizza e hambúrguer

Normas da ex-primeira-dama exigem maior oferta de frutas e vegetais frescos

Washington | The New York Times

O governo do republicano Donald Trump apresentou nesta sexta-feira (17) uma proposta para alterar as regras que estabelecem padrões nutricionais para as merendas das escolas americanas. 

O anúncio ocorre no dia do aniversário de Michelle Obama, que foi responsável pela promoção e aprovação da legislação quando era primeira-dama.

Michelle Obama visita cantina
Michelle Obama visita cantina da Escola Elementar Parklawn, em Alexandria (Virgínia), em 2012; na ocasião, a então primeira-dama falou sobre os padrões nutricionais para merendas que foram estabelecidos pela legislação proposta por ela - Kevin Lamarque - 25.jan.2012/Reuters

As novas regras preveem maior liberdade às escolas para escolherem os tipos de vegetais incluídos nas refeições e a quantidade de frutas fornecidas no café da manhã.

A legislação atual exige o fornecimento de sete frutas, vegetais ou legumes todos os dias e incentiva a inclusão de alimentos integrais e de leite desnatado ou semidesnatado nas merendas. Sódio e gorduras trans e saturadas devem ser reduzidos. 

Nutricionistas criticaram a proposta do governo e alertaram para a possibilidade de as escolas passarem a oferecer pizzas, hambúrgueres, batatas fritas e outros alimentos calóricos. Opções ricas em amido, como batatas, poderiam ser usadas como substitutos a vegetais verdes, por exemplo. 

A indústria alimentícia advoga há anos pelas alterações, assim como alguns distritos escolares que consideram que as regras pressionam seus orçamentos. 

Uma porta-voz do Departamento da Agricultura afirmou que a pasta não planejou realizar o anúncio no dia do aniversário da ex-primeira-dama. 

"Escolas e distritos escolares continuam nos dizendo que há muito desperdício de alimentos que é necessário uma flexibilização, baseada em bom senso, para fornecer aos estudantes refeições nutritivas e saborosas", disse a secretária de Agricultura, Sonny Perdue. 

A proposta é a segunda tentativa do governo Trump de modificar a "Lei de combate à fome infantil", aprovada em 2010, durante o governo de Barack Obama (2009 - 2017).

Em dezembro de 2018, a pasta autorizou a inclusão de leite de baixa caloria com aromatizantes artificiais no programa escolar nacional de almoço e café da manhã. O regulamento permitiu que apenas metade da cota semanal de grãos fosse composta por grãos integrais, além de estender o prazo dos fornecedores para reduzir o sódio das merendas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.