Rússia expulsa jornalista japonês por suposta espionagem

Profissional teria tentado obter informações sobre capacidade militar russa no Extremo Oriente

Moscou | Reuters

A Rússia expulsou um jornalista japonês por tentar obter informações secretas relacionadas à capacidade militar de Moscou no Extremo Oriente, informou nesta segunda-feira (27) a agência de notícias estatal RIA. 

O jornalista, cujo nome não foi divulgado, teve 72 horas para deixar o território russo. Ele foi detido no dia 25 de dezembro pela polícia na cidade de Vladivostok, segundo o Ministério de Relações Exteriores do país.

Imprensa acompanha os treinamentos militares
Imprensa acompanha os treinamentos militares de Vostok-2018 no campo de teste de Klerka, próximo à cidade de Slavyanka, 100 km ao sul de Vladivostok; região é estratégica para as Forças Armadas russas - Mladen Antonov - 15.set.19/AFP

De acordo com a agência, a pasta convocou um oficial da embaixada japonesa para registrar um protesto diplomático oficial devido ao incidente.

​As relações entre Tóquio e Moscou são tensas devido a uma antiga disputa territorial por ilhas no Pacífico.

Conhecidos na Rússia como Curilas do Sul e no Japão como Territórios do Norte, os territórios foram tomados pelo Exército soviético no fim da Segunda Guerra Mundial —por causa da contenda, os dois países até hoje não assinaram formalmente um tratado de paz. 

O anúncio do governo russo acontece dois dias após o grupo de telecomunicações japonês Softbank afirmar que um de seus ex-empregados foi preso sob suspeita de vazar informações da companhia. 

O ex-funcionário teria vendido informações à representação comercial da Rússia no Japão, segundo o jornal Nikkei. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.