Campanha de Trump anuncia processo contra New York Times por difamação

Ação se baseia em artigo de opinião publicado no jornal em março de 2019

Washington | Reuters

A campanha de reeleição do presidente americano, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (26) que processará por difamação o jornal The New York Times pela publicação de um artigo de opinião que sugeria um amplo acordo nas eleições de 2016 entre a Rússia e a campanha do republicano.

A medida é a última de uma série de confrontos do presidente com a mídia.

A equipe de Trump afirmou que o objetivo da ação, ajuizada na Justiça estadual de Nova York, era responsabilizar o jornal, um dos mais importantes do país, por declarações falsas contra a campanha do presidente.

Donald Trump responde a perguntas de jornalistas na Casa Branca, em Washington
Donald Trump responde a perguntas de jornalistas na Casa Branca, em Washington - Carlos Barria/Reuters

A ação se baseia em um artigo de opinião publicado em 27 de março de 2019, escrito por Max Frankel, que atuou como editor-executivo do Times de 1986 a 1994.

Em um minuta da petição apresentada ao tribunal, advogados de Trump acusam o jornal de "preconceito extremo e animosidade em relação à campanha" e citam o que chamam de "exuberância do Times de influenciar indevidamente as eleições presidenciais em novembro de 2020".

Trump disputa a reeleição no pleito deste ano e prometeu outras ações contra o jornal, que, segundo ele, "errou muito nos últimos anos". "Há mais por vir", disse o presidente ao comentar o anúncio do processo.

"A campanha recorreu aos tribunais para tentar punir um articulista por ter uma opinião que [o presidente] considera inaceitável", afirmou um porta-voz do jornal, que disse não ter sido formalmente intimado da ação. 

"Felizmente, a lei protege o direito dos americanos de expressar seus julgamentos e conclusões, especialmente sobre eventos de importância pública. Esperamos reivindicar esse direito neste caso."

As críticas de Trump ao que ele considera ser um viés progressista na mídia americana são bem recebidas por sua base política conservadora e muitas vezes geram aplausos em seus comícios, nos quais apoiadores frequentemente zombam dos jornalistas.

O presidente já se referiu repetidas vezes a meios de comunicação como "notícias falsas" e chamou membros da mídia de "inimigos do povo americano".

O processo, de acordo com a minuta divulgada, acusou o jornal de "motivação maliciosa" e "desrespeito imprudente da verdade".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.