Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Enquanto trajetórias convergem, Biden quer desconstruir semelhanças de Buttigieg e Obama

Resultado acirrado nas prévias de Iowa eleva temperatura de próxima disputa democrata

Washington

"Esse cara não é Barack Obama", disse um impaciente Joe Biden na noite de sábado (8).

O ex-vice-presidente conversava com jornalistas quando se referiu a Pete Buttigieg, hoje seu principal adversário na ala moderada do Partido Democrata na corrida à Casa Branca.

Mais tarde, Buttigieg foi instado a responder o concorrente. "Ele está certo. Eu não sou. Nem ele é."

O debate entre os dois candidatos revela a temperatura da disputa na oposição a Donald Trump e a tentativa de Biden de desvincular Buttigieg da imagem positiva de Obama —de quem Biden foi vice de 2009 a 2016.

Parte dos democratas, da imprensa americana e da própria campanha de Buttigieg, no entanto, tenta mostrar que o ex-prefeito de uma pequena cidade de Indiana é sim o espelho daquele político jovem e representante das minorias que, com um discurso de conciliação, conquistou o partido e os EUA em 2008.

Aos 47 anos, Obama foi eleito o primeiro presidente negro da história americana. Era senador por Illinois e ganhou a nomeação do partido contra a experiente Hillary Clinton, começando com uma vitória inesperada em Iowa.

Apoiadores de Buttigieg querem que o roteiro seja o mesmo. 

Depois de surpreender e vencer com uma pequena vantagem sobre Bernie Sanders as prévias em Iowa —as campanhas pediram revisão do resultado—, o ex-prefeito tenta usar o exemplo do ex-presidente para embalar sua candidatura e ser escolhido como a novidade que o partido busca para unir seus eleitores contra Trump.

Buttigieg tem 38 anos e é o primeiro candidato abertamente gay à Casa Branca. Investe no discurso de consensos e reparos para mudar o país, diferentemente da reestruturação do Estado defendida pela ala progressista dos democratas, composta pelos senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren.

O ex-prefeito ganhou Iowa justamente porque investiu na área rural do estado que votou em Obama, mas mudou para Trump em 2016. Em dez dias, fez eventos em 27 dos 31 condados que trocaram de posição.

Essa vantagem fez com que Buttigieg chegasse às primárias de New Hampshire nesta terça-feira (10) à frente de Biden segundo as pesquisas.

O ex-vice-presidente se apressa em dizer que, com Obama, a história foi diferente.

"Ele foi senador por um estado grande, envolveu-se com política internacional, tinha visão clara de como achava que o mundo tinha que ser", completou Biden na mesma entrevista em New Hampshire, no fim de semana, destacando insistentemente o que classifica de inexperiência de Buttigieg.

O ex-prefeito não assume publicamente as comparações, pelo contrário, diz que 2020 é um ano que pede outro tipo de liderança, até porque o país em 2008 não era tão polarizado como este sob Trump.

Mas a principal diferença, seus aliados sabem, é a base eleitoral de Buttigieg. Diferentemente de Obama, que contava com jovens e negros entre seus principais eleitores, os apoiadores do ex-prefeito de South Bend são brancos e mais velhos.

Os negros são fundamentais para a eleição democrata e representaram 24% das primárias do partido em 2016. 

Mas os levantamentos mostram que eles não gostam de Buttigieg. Além de não ter histórico com a defesa de suas bandeiras, enfrenta episódios controversos como a maneira displicente com que conduziu o caso de um policial que matou um homem negro em sua cidade.

No início do mês, na tentativa de aproveitar o momento Obama que poderia florescer para Buttigieg em Iowa, uma das coordenadoras de sua campanha admitiu que existem poucas pessoas na política com quem é perigoso se comparar —e Obama é uma delas. 

"Você também não se compara a John F. Kennedy, mas não acho errado dizer que Pete tem o talento e 'aquela coisa' que Obama tinha", diz Lis Smith.

Se depender de Biden e do eleitorado negro, Buttigieg vai precisar de mais do que "aquela coisa" para se destacar como o nome centrista, bater o progressista Sanders e se tornar o candidato democrata à Casa Branca.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.