'Falha geral no sistema': o que causou o fiasco das primárias de Iowa

Votação para escolher candidato democrata à Presidência teve confusão e atraso

Des Moines (Iowa) | The New York Times

Os problemas já tinham sido previstos por Sean Bagniewski.

A questão não foi que o novo aplicativo do Partido Democrata para informar seus resultados em Iowa não funcionou.

Para começar, as pessoas não conseguiram fazer login ou mesmo o download. Afinal, não houve treinamento específico aos muitos presidentes de distritos do partido para usar a ferramenta.

Então, na última quinta-feira, Bagniewski, presidente do Partido Democrata no condado de Polk, o mais populoso de Iowa, decidiu abandonar o aplicativo por completo, instruindo seus delegados a simplesmente informar os resultados do caucus por telefone, como sempre haviam feito.

Funcionários trabalham em contagem de votos na Drake University, em Des Moines - Tom Brenner/Getty Images/AFP

O único problema foi que, quando chegou a hora das prévias de segunda-feira (3), esses delegados não conseguiram entrar em contato com os líderes do partido por telefone.

Bagniewski instruiu sua diretora executiva a tirar fotos dos resultados com seu smartphone e se dirigir até a sede do Partido Democrata de Iowa para entregá-las pessoalmente. Ela, no entanto, segundo Bagniewski, foi afastada sem explicações.
 
"Eu nem sei se eles sabem o que não sabem", disse ele sobre o partido em Iowa pouco antes das 2h desta terça-feira.
 
Foi uma abertura surreal para a campanha de 2020 que incluiu "inconsistências" inexplicáveis em resultados que não foram divulgados ao público, teleconferências acaloradas com campanhas encerradas pelo partido estadual, desmentidos enérgicos de qualquer tipo de ataque de hacker e uma primária presidencial com um estranho sentimento de quase animação suspensa.
 
“Um fiasco geral do sistema”, disse Derek Eadon, ex-presidente do Partido Democrata de Iowa.
 
Em meio ao caos e à confusão, houve discursos conflitantes de candidatos declarando vários níveis de vitória, enquanto a campanha de Bernie Sanders divulgava seus próprios resultados parciais favoráveis.

Outros esperavam que a bagunça não diminuísse o eventual impacto do que parece ser um desempenho decepcionante do ex-vice-presidente Joe Biden.
 
"Qualquer campanha que diga que ganhou ou divulgue números incompletos está contribuindo para o caos e a desinformação", repreendeu Joe Rospars, estrategista-chefe da senadora Elizabeth Warren.

Dois tuítes e um minuto antes, ele escrevera: "É uma corrida muito acirrada entre os três principais candidatos (Warren, Sanders, Buttigieg), e Biden ficou em um distante quarto lugar”.
 
Sem resultados reais, o único perdedor claro foi o estado de Iowa e suas primárias cada vez mais comprometidas.

Pelo terceiro ciclo presidencial consecutivo, os resultados são assolados por perguntas, ou até mesmo por dúvidas.

Primeiro foram os republicanos, quando Mitt Romney foi declarado vencedor em 2008 antes de o resultado ser revertido mais tarde. Depois, os democratas sofreram quando um empate virtual entre Hillary Clinton e Sanders em 2016 desencadeou uma série de mudanças nas regras que culminaram com o fiasco de 2020.
 
A noite havia começado bem. Os democratas de Iowa disseram que a participação foi intensa e os caucuses em si —realizados em mais de 1.600 distritos desde o rio Missouri até o rio Mississippi— ocorreram em grande parte sem problemas.

Pela primeira vez, não haveria apenas um resultado registrado, mas três: o alinhamento inicial dos participantes do caucus, o realinhamento dos candidatos com menos de 15% de apoio e, em seguida, os delegados finais conquistados em cada local.

O detalhe adicional foi resultado de reclamações de quatro anos atrás, sobre a falta de transparência da derrota apertada de Sanders para Clinton em Iowa.
 
Alguns líderes de distrito disseram ter apresentado seus resultados na segunda-feira sem nenhum problema. Jerry Depew, presidente da comarca da área rural de Pocahontas, disse que informou seus resultados por telefone depois de cinco minutos de espera, às 20h05.
 
Mas logo as linhas telefônicas do partido ficaram completamente congestionadas.
 
"O aplicativo não foi incluído no treinamento dos presidentes que todos foram obrigados a fazer", disse Zach Simonson, presidente do Partido Democrata no condado de Wapello.
 
"Quando você tem um aplicativo que está sendo enviado para 1.700 pessoas e muitos deles podem não conhecer aplicativos e esse tipo de coisa, talvez seja conveniente fazer alguns meses de testes", disse Bagniewski, presidente do condado de Polk.
 
Mas esses atrasos e confusão não explicam por que o partido estadual não divulgou nenhum resultado —incluindo os distritos que apresentaram seus resultados com sucesso por telefone ou pelo aplicativo.

O partido disse, inicialmente, que estava realizando ações de "controle de qualidade".
 
Às 22h26, no horário local, o Partido Democrata de Iowa divulgou uma declaração mais extensa.
 
"Encontramos inconsistências no relatório de três conjuntos de resultados", afirmou. “Isso é simplesmente um problema de comunicação, o aplicativo não parou de funcionar e isso não é um ataque de hacker ou uma invasão. A trilha de dados e papel subjacente é sólida e levará apenas um tempo para informar os resultados.”

Por volta desse horário, o partido estadual tentou obter informações com as campanhas por telefone. Não deu certo.

As autoridades do partido reiteraram suas declarações públicas: que os atrasos estavam relacionados à divulgação de três números por distrito pela primeira vez.

Autoridades do partido encerram a chamada após serem pressionados pelas campanhas para dar mais detalhes, segundo duas pessoas que participaram da ligação.
 
Os candidatos decidiram não esperar por nenhum resultado e, um por um, fizeram variações de um discurso de vitória, começando com a senadora Amy Klobuchar, embora nenhum tenha sido tão ousado em suas proclamações de sucesso quanto Pete Buttigieg, ex-prefeito de South Bend, Indiana.
 
"Hoje à noite, uma esperança improvável se tornou uma realidade inegável", declarou Buttigieg, enquanto um porta-voz da campanha passou a noite postando capturas de tela dos distritos onde o candidato havia vencido.
 
A campanha de Sanders foi então ainda mais ousada, divulgando logo após a meia-noite um conjunto de "números internos do caucus" que, segundo ela, representavam 40% dos distritos do estado.
 
"Acreditamos firmemente que nossos apoiadores trabalharam muito por muito tempo para ter um atraso dos resultados desse trabalho", escreveu Jeff Weaver, consultor sênior de Sanders.
 
À 1h, o presidente do Partido Democrata de Iowa, Troy Price, organizou um encontro com a imprensa, mas não respondeu a perguntas. Price emitiu uma declaração dizendo que planejava divulgar os resultados ainda na terça-feira e que o atraso ocorreu porque "a integridade de nosso processo e os resultados foram e sempre serão nossa principal prioridade".
 
Ele falou por menos de um minuto.
 
“Estamos validando todos os dados que temos em relação aos nossos documentos em papel. Esse sistema está demorando mais do que o esperado", disse, "mas ele existe para garantir que, eventualmente, possamos informar os resultados com total confiança".
 
A essa altura, a maioria dos candidatos já estava a caminho de New Hampshire.

Tradução de AGFox

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.