Ataque terrorista em Londres deixa dois feridos

Autor do atentado foi morto a tiros por oficiais à paisana

Londres | Reuters

A polícia matou um homem neste domingo (2), em uma rua movimentada ao sul de Londres, depois de ele esfaquear ao menos duas pessoas.

Autoridades afirmaram que o caso tem ligação com o terrorismo, provavelmente relacionado à militância radical islâmica.

Uma das vítimas —um homem— corria risco de morte e estava recebendo tratamento. A outra —uma mulher— sofreu ferimentos mais leves, e uma terceira foi machucada com um pedaço de vidro após um policial disparar sua arma. 

Polícia faz isolamento da área em que um homem foi morto depois de ferir pessoas a faca em Streatham, Londres
Polícia faz isolamento da área em que um homem foi morto depois de ferir pessoas a faca em Streatham, Londres - Simon Dawson/Reuters

Sudesh Amman, identificado pela polícia como o autor do atentado, havia saído da prisão há cerca de uma semana, depois de cumprir metade de uma sentença de três anos e quatro meses por posse e distribuição de material terrorista —como um manual para produzir bombas e um guia com técnicas para lutas com facas.

Ele havia sido preso em maio de 2018, então com 18 anos, quando estudava em uma instituição de ensino superior no noroeste da cidade. Estava sob vigilância policial desde a saída da prisão.

Neste domingo, Amman usava uma veste suicida falsa, feita com objetos que pareciam explosivos, informou a polícia. Testemunhas afirmaram que ele estava armado com um facão.

Os policiais que fizeram os disparos estavam à paisana. Vídeos de câmeras de segurança da rua do atentado mostram dois homens, um com capuz e outro com um boné de beisebol, apontando armas para um corpo na calçada. 

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, agradeceu aos serviços de emergência que responderam ao incidente e à “velocidade e bravura” dos policiais. “Meus pensamentos estão com as vítimas e com seus entes queridos”, completou.

Boris informou também que uma investigação completa do caso está em andamento, e que nesta segunda-feira (3) o governo vai anunciar uma série de medidas novas para lidar com os condenados por terrorismo.

“Terroristas buscam nos dividir e destruir o nosso modo de vida —aqui em Londres nós nunca os deixaremos serem bem-sucedidos”, afirmou o prefeito da cidade, o trabalhista Sadiq Khan, que é muçulmano.  

No final do dia, uma das vítimas deixou o hospital, segundo um repórter da ITV.

Uma vestimenta suicida semelhante a de Amman foi usada em um ataque feito na London Bridge, ponte no centro da capital inglesa, em 2019.

O atentado deixou duas pessoas mortas e outras três feridas. O autor, morto a tiros pela polícia, era militante islâmico e tinha sido preso por terrorismo, mas estava solto.

 
 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.