Descrição de chapéu The New York Times

Tempestade Dennis faz 'navio fantasma' aparecer na costa da Irlanda

Embarcação passou 16 meses sem tripulação e percorreu milhares de milhas

Londres | The New York Times

Abandonado, o navio de carga Alta tinha sido visto pela última vez em algum ponto do oceano Atlântico. Não havia sinais de vida a bordo —era uma embarcação fantasma, vagando solitária e sem rumo.

Nesta semana, depois de mais de um ano de mares agitados e tempestades poderosas, esse barco chegou ao fim de sua viagem quando bateu contra rochedos em Ballycotton, uma aldeia de pescadores na costa sul da Irlanda.

O barco enferrujado de cerca de 75 metros conseguiu sobreviver a uma jornada de milhares de milhas, desde o sul das Bermudas, onde parou de funcionar e de onde sua tripulação foi resgatada.

O Alta, que passou 16 meses sem tripulação, encalhado na costa da Irlanda - Cathal Noonan/AFP

"É uma chance em um milhão", declarou John Tattan, chefe local da Instituição Real Nacional Lifeboat, ao jornal The Irish Examiner, na cidade de Cork.

"Ele fez o trajeto todo pela costa africana, o oeste da costa espanhola, e oeste da costa inglesa até a costa irlandesa. Nunca vi nada assim, abandonado."

Como o Alta sobreviveu até encalhar no litoral no domingo (16), empurrado pela tempestade Dennis, é quase um mistério. Mas o que aconteceu com a tripulação não é.

Em 19 de setembro de 2018, o navio cargueiro de bandeira da Tanzânia, que ia da Grécia ao Haiti, ficou inoperante a cerca de 2.208 km a sudeste das Bermudas, no oceano Atlântico.

Incapaz de fazer o conserto necessário e com pouquíssima comida, a tripulação de dez membros emitiu um pedido de socorro no dia 30 do mesmo mês.

Uma equipe aérea em um avião da Estação Aérea da Guarda Costeira dos EUA em Elizabeth City, na Carolina do Norte, despejou alimentos suficientes para uma semana para a tripulação em 2 de outubro, segundo registro.

Uma semana depois, o barco Confidence da Guarda Costeira chegou para resgatá-la, quando um furacão se aproximava.

"Fazíamos uma patrulha policial perto de Porto Rico quando fomos mobilizados para ajudar a tripulação do Alta", disse na época o comandante Travis Emge, oficial que chefiava o Confidence.

"Viajamos mais de 1.300 milhas náuticas para alcançar o navio quebrado antes da chegada prevista do furacão Leslie." 

A tripulação foi levada até Porto Rico, e o navio deveria ser rebocado até a costa. Mas isso não aconteceu, e ele ficou à deriva desde então.

A embarcação foi avistada pela última vez por um barco-patrulha quebra-gelo da Marinha Real Britânica no meio do Atlântico. "Nos aproximamos do navio para fazer contato e oferecer ajuda, mas ninguém respondeu!", escreveu no Twitter a tripulação do navio Protector na época. 

Entre o dia em que sua tripulação foi resgatada e o último domingo, quando foi encontrado abandonado e visivelmente intacto, o navio ficou à deriva por mais de 16 meses.

Geralmente, é responsabilidade do proprietário do navio cuidar de um barco danificado ou naufragado, mas as autoridades locais em Cork disseram que ainda vão decidir o que acontecerá com o Alta.

Segundo o jornal The Irish Times, uma pessoa se apresentou às autoridades supostamente representando o dono da embarcação para tentar recuperá-la. Sua identidade ainda está sendo verificada.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.