Descrição de chapéu Governo Trump

Trump perdoa 11 ex-políticos sentenciados por corrupção

Clemência vem dias após presidente afirmar que tem direito de interferir em casos criminais

Washington | AFP

O presidente dos EUA, Donald Trump, perdoou a sentença de um ex-governador de Illinois, preso por corrupção na terça-feira (18), e também concedeu indulto a um chefe de polícia de Nova York que estava atrás das grades por fraude fiscal.

Os perdões ainda foram dados a Edward DeBartolo Jr, ex-proprietário do time de futebol San Francisco 49ers, e Michael Milken, um conhecido financista que se declarou culpado em 1990 por fraude fiscal.

Essa série de ações de clemência, 11 no total, acontece menos de uma semana depois de Trump afirmar que tem o direito de interferir em casos criminais.

O ex-governador de Illinois, Rod Blagojevich, um dos que teve a pena perdoada por Trump - Amanda Rivkin 15.fev.08/ AFP

Segundo o jornal New York Times, não há indicação de que o presidente tenha confiado no tradicional processo de verificação do Departamento de Justiça que orienta os mandatários no uso de sua autoridade constitucional para perdoar condenações criminais.

Trump disse a repórteres que seguiu recomendações de amigos, executivos de negócio e aliados políticos.

Sua atitude elevou as expectativas de que ele pensa em exercer seu poder em casos mais controversos envolvendo ex-associados próximos, como o consultor republicano Roger Stone.

Entre os perdões concedidos, o que mais chamou a atenção foi o de Rod Blagojevich, um democrata que foi destituído do cargo de governador de Illinois em 2009 e depois condenado por vender o assento de senador que havia ficado vago quando Barack Obama conquistou a Presidência em 2008.

Trump, que fez campanha alegando que lutaria contra a corrupção em Washington, foi vago sobre sua justificativa para conceder liberdade a Blagojevich, condenado a 14 anos. 

"Comutamos a sentença de Rod Blagojevich. Ele ficou preso por oito anos, por um longo tempo", disse o presidente a repórteres. "Ele parece uma pessoa muito legal, eu não o conheço." Comutar é substituir uma pena mais forte por outra mais branda.

Além disso, ele perdoou Bernard Kerik, comissário de polícia de Nova York na época dos ataques de 11 de setembro de 2001. Kerik se declarou culpado em 2009 por fraude fiscal, e saiu da prisão em 2013.

Especula-se que o presidente em breve vá perdoar Roger Stone e Paul Manafort, ambos envolvidos em uma extensa investigação sobre a tentativa da Rússia de influenciar as eleições presidenciais dos EUA em 2016.

Stone foi condenado por um júri em novembro por dificultar uma investigação do Congresso, manipulando testemunhas e obstruindo a investigação da Câmara dos Representantes sobre a existência de conluio entre a campanha de 2106 do então candidato republicano e a Rússia.

Paul Manafort, 69, que comandou a campanha do republicano entre junho e agosto de 2016,  foi condenado a mais de sete anos de prisão por duas acusações de conspiração —quando uma pessoa se junta a outras para cometer um crime. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.