Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Biden vence primárias em mais 4 estados e amplia favoritismo contra Sanders

Ex-vice-presidente conquistou Michigan, estado simbólico para seu rival democrata

São Paulo e São Paulo

O ex-vice-presidente Joe Biden venceu primárias em ao menos quatro dos seis estados em disputa nesta terça (10). Ele foi o mais votado em Missouri, Mississipi, Idaho e Michigan —o estado com o maior número de delegados em disputa nesta noite (125 de 352).

É um duplo golpe para o senador Bernie Sanders. Além de perder um grande número de delegados, ele deixou de repetir a conquista surpreendente no estado do Meio-Oeste dos EUA nas prévias de 2016, quando derrotou Hillary Clinton.

Na votação de terça, Sanders venceu apenas em Dakota do Norte. Há empate técnico entre os dois democratas no estado de Washington, onde a apuração ainda não acabou.

Joe Biden discursa ao lado da mulher, Jill, após as primárias, em Filadélfia - Brendan McDermid/Reuters

RESULTADOS DAS PRIMÁRIAS DE TERÇA (10):

​Em um dia marcado por cancelamentos de eventos de campanha devido ao surto de coronavírus, americanos de seis estados votaram para escolher o candidato democrata que enfrentará Donald Trump nas eleições de novembro.

Tanto Biden quanto Sanders deixaram de realizar comícios em Cleveland, no estado de Ohio.

Um porta-voz do senador afirmou que a decisão foi baseada em alertas oficiais do estado sobre os riscos de grandes aglomerações em locais fechados durante um período de expansão do novo coronavírus. Eventos futuros serão analisados caso a caso, acrescentou.

A campanha do ex-vice-presidente optou pelo mesmo caminho, citando excesso de cautela.

No estado de Washington, um dos mais atingidos pela epidemia no EUA, eleitores foram incentivados a enviar seus votos pelo correio e a usar água em vez de saliva para fechar os envelopes. Funcionários responsáveis por manusear as cartas usam luvas para evitar a transmissão do vírus.

Funcionários desmontam palco
Funcionários desmontam palco que seria usado em evento de campanha de Joe Biden, em Cleveland, Ohio - Scott Olson/Getty Images/AFP

Em seu discurso após a divulgação dos resultados parciais dos três estados, Biden afirmou que o surto do novo coronavírus se trata de uma "questão de liderança presidencial".

Ele também agradeceu os apoiadores de Sanders. "Compartilhamos um objetivo comum, que é derrotar Donald Trump", disse.

Depois da desistência em série de pré-candidatos democratas, as prévias desta terça são a primeira vez que Biden e Sanders disputam diretamente os votos que definirão a nomeação democrata.

Apelidadas de "Super Tercinha", por acontecerem na sequência da Super Terça (3), na qual 1.344 delegados estavam em jogo, as votações desta noite distribuirão 352 representantes.

As primárias ocorreram em seis estados: Idaho, Mississipi, Washington, Michigan, Missouri e Dakota do Norte —os três últimos pertencem ao Meio-Oeste americano, região que foi determinante para a vitória de Trump em 2016.

Naquele ano, o resultado em Michigan surpreendeu analistas, que projetavam Hillary derrotando Sanders por uma diferença de mais de dez pontos percentuais. O senador venceu com uma margem de 1,5 ponto percentual e levou 67 delegados, contra 63 de Hillary.

A vitória veio em boa hora. Àquela altura da disputa, a candidatura de Sanders corria o risco de perder o impulso e ficar no meio do caminho —um cenário não muito distante do atual.

O fraco desempenho de Sanders em Mississipi pode deixá-lo numa situação inédita para um estado nesta campanha. Resultados parciais mostram o senador com cerca de 14,5% do voto, marca abaixo do piso de 15% exigido para que um candidato possa receber delegados.

Desde o início do mês, os pré-candidatos Tom Steyer, Pete Buttigieg, Amy Klobuchar e Michael Bloomberg desistiram de suas campanhas. Com a exceção de Steyer, todos endossaram Biden, numa estratégia de unir o eleitorado moderado em torno do ex-vice e tentar barrar uma vitória de Sanders.

Andrew Yang, que desistiu de sua campanha pela nomeação democrata no início de fevereiro, declarou apoio a Biden depois que os resultados de Missouri, Mississipi e Michigan foram anunciados. Mais cedo nesta terça, os ex-pré-candidatos Kamala Harris e Cory Booker também endossaram Biden.

A deputada federal pelo Havaí Tulsi Gabbard segue formalmente na disputa, embora sua campanha disponha de recursos limitados e ela tenha conquistado apenas dois representantes até agora.

Desde que Biden passou a contar com o apoio unificado da ala moderada do partido —e de seus ex-pré-candidatos—, a campanha de Sanders tem tido desempenho abaixo do esperado.

Na Super Terça, o senador venceu no estado com o maior número de delegados, a Califórnia, mas perdeu na soma total: ficou com 441, contra 512 de Biden.

O apoio do eleitorado negro ao ex-vice de Barack Obama (2009-2017) tem sido decisivo. Depois de o pré-candidato sair das primeiras prévias com poucos delegados ou nenhum, como em New Hampshire, ele obteve uma importante vitória na Carolina do Sul —60% dos eleitores negros votaram nele.

O resultado lhe deu fôlego para a Super Terça, quando ele se consolidou como o principal nome capaz de frear Sanders.

O resultado desta noite também é decisivo para o senador por causa do calendário eleitoral do partido.

As próximas primárias acontecem em Arizona, Flórida, Illinois e Ohio, estados onde as projeções mostram Biden ganhando com facilidade.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.