Descrição de chapéu Coronavírus

Ultradireita da Espanha culpa governo por não impedir ato do próprio partido

Deputado presente no encontro, que reuniu 9.000 pessoas, testou positivo para coronavírus

São Paulo

O deputado espanhol Javier Ortega Smith, porta-voz e número 2 do partido de ultradireita Vox, testou positivo para o novo coronavírus nesta terça (10).

Smith esteve um encontro do Vox no domingo (8), em Madri, no qual compareceram cerca de 9.000 pessoas, que correm risco de terem se contaminado.

Javier Ortega Smith, deputado do Vox, abraça manifestante com máscara de Guy Fawkes durante protesto por aumento de salários para policiais em Madri
Javier Ortega Smith, deputado do Vox, abraça manifestante com máscara de Guy Fawkes durante protesto por aumento de salários para policiais em Madri - Oscar del Pozo - 3.mar.20/AFP

O Vox pediu perdão por ter realizado o ato mesmo sob a ameaça do coronavírus, mas culpou o governo espanhol, sob comando do socialista Pedro Sánchez, por ter liberado o evento. Na Espanha, houve até agora 35 mortes e 1.648 casos.

"Tivemos a inocência de crer que este governo iria colocar a saúde dos espanhóis à frente de sua agenda de propaganda. E foi um erro", disse o Vox, em nota.

O partido acusa membros do governo de terem usado luvas de borracha em outro ato público, na mesma data, e ter anunciado medidas de restrição a reuniões públicas horas depois do encontro do Vox.

Após a confirmação do diagnóstico, o Vox orientou seus deputados a trabalhar de casa e pediu que as sessões parlamentares sejam suspensas até que a situação se normalize.

O partido também cobra que o governo dê mais detalhes de como pretende lidar com a crise do novo coronavírus, inclusive sobre a possibilidade de medidas nas fronteiras.

"Estamos dispostos a apoiar medidas excepcionais, caso o governo aja de maneira transparente", disse Santiago Abascal, líder do Vox, em um vídeo.

Ele também pediu a demissão da vice-primeira-ministra, Carmen Calvo, responsável pela resposta à epidemia.

O Vox se tornou a terceira maior força do Parlamento espanhol nas eleições de 2019 e faz parte da oposição ao governo ao lado do PP (Partido Popular, direita tradicional).

Nesta terça, o governo espanhol proibiu a realização de eventos com mais de mil pessoas em Madri, Vitória e outros cidades do país para tentar reduzir os riscos de contaminação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.