Descrição de chapéu Coronavírus

Fechamento de fronteiras na Europa afetará transferência de crianças refugiadas

Há ao menos dez casos de coronavírus em campo de refugiados na Alemanha, diz Acnur

Lausanne (Suíça) | Reuters

A restrição de entrada de pessoas em países europeus vai impactar planos de retirada de centenas de crianças de campos de refugiados na Grécia, afirmou nesta terça (17) um representante da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Finlândia, França, Portugal, Luxemburgo e a cidade de Berlim concordaram nas últimas semanas em levar crianças desacompanhadas da Grécia para seus países, depois que milhares de refugiados chegaram ao território grego.

No entanto, a União Europeia anunciou nesta segunda (16) o fechamento de todas as suas fronteiras. A medida engloba os 27 países da UE mais quatro que fazem parte da zona Schengen, espaço de livre circulação dentro do continente.

A Acnur (Agência das Nações Unidas para Refugiados) e a OIM (Organização Internacional para as Migração) pediram aos países que "garantam a continuação das viagens nos casos emergenciais sempre que possível".

Essa nova onda de imigração é motivada pelos confrontos em Idlib, na Síria. Lá, o regime do ditador Bashar al-Assad realiza uma ofensiva para tentar acabar com o último reduto dos opositores.

De acordo com a OIM, agência da ONU, ao menos 13 mil pessoas estão ao longo dos 212 km da fronteira.

“A suspensão temporária do movimento transfronteiriço na União Europeia impactará inevitavelmente quando e como as crianças vulneráveis na Grécia serão realocadas para a Alemanha, a Finlândia e a outros Estados”, disse Afshan Khan, Coordenadora Especial de Resposta aos Refugiados e Migrantes no continente europeu, à Reuters.

Khan pediu ao países que explorem com urgência “todas as medidas possíveis para agilizar a transferência dessas crianças, para que elas possam se deslocar assim que as fronteiras reabrirem".

A coordenadora pediu também que testes de coronavírus e habitações coletivas fossem preparados para as crianças.

De acordo com o Acnur, foram confirmados pelo menos dez casos de coronavírus entre refugiados e solicitantes de asilo em campos da Alemanha.

A agência teme que isso prejudique o apoio para refugiados no futuro.

O porta-voz do Acnur Andrej Mahecic pediu aos países que tratem refugiados que venham a adoecer da mesma maneira com que eles tratam sua população local.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.