Descrição de chapéu Coronavírus

França ameaçou fechar fronteira com Reino Unido se Boris não apertasse restrições

Segundo jornal francês, Macron pressiona britânico para conter pandemia

Paris | Reuters

O presidente francês, Emmanuel Macron, ameaçou, na sexta-feira (20), fechar a fronteira do país com o Reino Unido a partir do dia 27 se o premiê britânico, Boris Johnson, não adotasse medidas mais restritivas para conter o avanço do coronavírus. As informações são do jornal francês Libération.

No mesmo dia, Boris decretou o fechamento de pubs, restaurantes, teatros, cinemas e academias.

Segundo o jornal, que cita fontes da equipe de Macron, a decisão do premiê veio após um ultimato do francês feito pela manhã —ele teria ameaçado banir a entrada de qualquer pessoa vindo do Reino Unido se não houvesse novas medidas.

Contatado pela Reuters, o gabinete de Macron recusou comentar o assunto. O governo britânico disse estar agindo de acordo com recomendações científicas enquanto aumenta os esforços para conter o avanço da pandemia no país.

Alunos deixam escola após último dia de aula antes de fechamento dos estabelecimentos de ensino no Reino Unido, nesta sexta (20)
Alunos deixam escola após último dia de aula antes de fechamento dos estabelecimentos de ensino no Reino Unido, nesta sexta (20) - Adrian Dennis - 20.mar.20/AFP

Inicialmente, Boris seguia as orientações de seu principal (e respeitado) conselheiro científico, Patrick Vallance, que defendia uma estratégia de longo prazo, conhecida como “imunidade de rebanho”.

A ideia é que, se o vírus puder circular entre a população e uma parcela grande dela adquirir imunidade (entre 60% e 70%, segundo epidemiologistas), a transmissão seria bloqueada, porque a chance de encontrar alguém imune seria muito maior do que a de cruzar com um doente e ser contaminado.

Ainda que o número de casos no curto prazo fosse maior do que se adotasse quarentenas, proibições de eventos ou fechamento de lojas, no longo prazo a população britânica estaria mais protegida.

Na segunda (16), porém, Boris mudou de estratégia. Proibiu eventos públicos e recomendou trabalho remoto e saída às ruas apenas para o indispensável. Já na quarta (18), anunciou a suspensão das aulas em todo o país a partir desta sexta, por tempo indeterminado.

Na França, Macron apertou as restrições no país, também na segunda. Os franceses devem evitar ao máximo sair de casa por pelo menos duas semanas, e ele prometeu fiscalização para garantir o fechamento de estabelecimentos que não devem permanecer em funcionamento.

Neste sábado (21), o Reino Unido registra 5.067 casos de coronavírus e 234 mortes. A França tem 14.308 casos e 562 mortes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.