'Olhem além do véu', diz primeira parlamentar israelense a usar hijab

Integrante da Lista Unida, ela defende mais direitos para os árabes que vivem em Israel

Nazaré | Reuters

Uma parlamentar muçulmana da minoria árabe vai se tornar a primeira representante no Parlamento de Israel a usar um hijab, ou lenço na cabeça, depois que os partidos árabes ganharam a maior representação de todos os tempos nas eleições desta semana.

Iman Yassin Khatib, 55, conquistou um lugar entre os 15 assentos conquistados pela coalizão Lista Unida na Knesset, formada por 120 membros. Israel foi às urnas na segunda-feira (2).

A parlamentar Iman Yassin Khatib, em entrevista a rádio em Nazaré - Ammar Awad/Reuters

Ela é uma das quatro mulheres eleitas pela Lista Unida e pertence ao grupo islâmico Ra'am, que defende mais serviços e direitos para os árabes em Israel e a criação de um Estado palestino.

A Lista Unida ficou atrás apenas do Likud, do premiê Binyamin Netanyahu, com 36 cadeiras, e do centrista Azul e Branco, com 33. No entanto, sua influência será limitada, pois não há expectativa de que o partido integre o governo.

A coalião atrai a maior parte dos votos da minoria árabe de 21% de Israel —que são palestinos por hereditariedade, mas israelenses por cidadania.

Analistas citam que o bom desempenho do partido árabe pode ser atribuído à revolta contra Netanyahu e seu aliado, Donald Trump, que defendem um plano de paz para a região rejeitado pelos palestinos.

Iman é mãe de quatro filhos e, antes da política, atuou como gerente de um centro comunitário na vila de Yafat an-Nasreh, na Galileia, nos arredores de Nazaré, região apontada como o local onde Jesus cresceu.

"Não há como [o hijab] não atrair a atenção das pessoas. Mas o mais importante é o que está dentro: a capacidade e o potencial de promover nossa comunidade", disse Khatib ao receber cumprimentos e posar para selfies em uma rua de Nazaré.

Khatib afirmou que, por algumas vezes, seu hijab provocou sentimentos anti-islâmicos em Israel, cuja população de nove milhões de habitantes é majoritariamente judia.

"Todo desafio que enfrentei na minha vida foi dificultado porque uso um hijab", declarou ela, fazendo um pedido às pessoas: "Olhem além do véu".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.