Descrição de chapéu Coronavírus Governo Bolsonaro

Países africanos cancelam agenda com Mourão após caso de coronavírus no Planalto

Vice-presidente teria compromissos na Nigéria e em Gana na próxima semana

Brasília

A revelação de que um alto funcionário do governo brasileiro contraiu coronavírus fez com que países africanos cancelassem uma viagem do vice-presidente Hamilton Mourão a seus territórios.

Na próxima semana, o general tinha compromissos na Nigéria e em Gana.

No entanto, na quinta-feira (12), em meio às suspeitas, posteriormente confirmadas, de que o chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), Fabio Wajngarten, é portador do vírus, as autoridades nigerianas contataram o Itamaraty e pediram que a viagem fosse suspensa.

Com isso, as atividades em Gana também foram canceladas.

O vice-presidente Hamilton Mourão durante evento em São Paulo
O vice-presidente Hamilton Mourão durante evento em São Paulo - Bruno Santos - 9.mar.20/Folhapress

Embora os nigerianos não tenham apresentado uma justificativa, as autoridades brasileiras consideram que o país africano ficou receoso com as notícias de que um membro do governo Bolsonaro foi infectado.

Mourão não integrou a comitiva presidencial que foi à Flórida, nos EUA, entre 7 e 10 de março, da qual Wajngarten fez parte, nem nem manteve contato com o chefe da Secom após o retorno dele ao Brasil.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou nesta semana que existe uma pandemia de coronavírus no mundo, e diversos países têm tomado medidas para evitar o avanço do vírus em seus territórios.

Nações africanas têm registrado até o momento uma incidência menor do vírus do que as nações dos demais continentes.

Segundo o último boletim da OMS, de 12 de março, a Nigéria tem dois casos confirmados de coronavírus.

Gana não aparece na lista, embora a agência Reuters tenha noticiado, no mesmo dia, o primeiro teste positivo para coronavírus no país. Já o Brasil tem mais de cem casos da enfermidade.

O teste com resultado positivo de Wajngarten levou a equipe médica da Presidência a monitorar todos os integrantes da comitiva, inclusive o presidente Bolsonaro.

O mandatário realizou os testes clínicos na quinta, e os resultados são aguardados para esta sexta-feira (13).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.