Em debate, Biden se compromete a escolher mulher como vice-presidente

Sanders diz que considera a possibilidade e que busca uma progressista

São Paulo

Joe Biden se comprometeu neste domingo (15) a ter uma mulher como vice-presidente, caso seja nomeado candidato do Partido Democrata e vença a eleição à Presidência dos EUA.

"Se eu for eleito presidente, meu gabinete, minha administração, irá se parecer com o país, e eu me comprometo a apontar e escolher uma mulher como vice-presidente", disse Biden, durante debate com o rival Bernie Sanders na noite de domingo (15), na CNN.

"Há várias mulheres qualificadas para ser presidente amanhã."

Biden (esq.) e Sanders se cumprimentam com o cotovelo
Em meio à pandemia do coronavírus, Biden (esq.) e Sanders se cumprimentam com o cotovelo antes do primeiro debate na TV só com os dois candidatos democratas  - Mandel Ngan/AFP

Sanders foi menos enfático, mas seguiu a mesma linha. "Com toda probabilidade, eu irei [escolher uma mulher]. Para mim, não é apenas nomear uma mulher. É ter certeza de que teremos uma progressista, e há mulheres progressistas lá fora. Então, minha tendência muito forte é ir nessa direção", disse.

Os EUA nunca foram presididos por uma mulher. No início da campanha, havia seis pré-candidatas democratas, um recorde. Atualmente, apenas a deputada Tulsi Gabbard segue na corrida, mas com menos de 5% das intenções de voto, o que a deixou fora do debate.

A resposta do presidente dos EUA, Donald Trump, à pandemia do coronavírus dominou a primeira parte do encontro. Sanders, cuja principal plataforma de campanha é a criação de um sistema de saúde universal similar ao brasileiro SUS, afirmou que a crise não teria chegado à gravidade atual caso tal estrutura existisse.

“Em meio a esta epidemia, há pessoas na indústria farmacêutica pensando ‘uau, esta é uma ótima oportunidade para ganhar uma fortuna’”, disse Sanders. Uma de suas propostas para a crise é que o Estado banque a medicação dos afetados pelo vírus.

Biden, cuja campanha foi endossada pela maior parte dos pré-candidatos que desistiram da disputa, assumiu um tom mais moderado.

Questionado sobre uma declaração que havia feito mais cedo, de que os americanos, durante a pandemia, não estavam interessados na revolução política de Sanders, ele citou a urgência da questão.

“Nós temos problemas para resolver agora neste momento”, disse. “O que a sua revolução irá fazer? Atrapalhar tudo durante esse tempo?”

Biden propôs que o governo federal liderasse e organizasse uma resposta em nível nacional para a pandemia, algo que ele considera que a gestão Trump não tem feito.

Ambos afirmaram que convocariam as Forças Armadas para participar no plano de combate à doença, embora Sanders tenha sido mais vago em sua resposta. Trump tem sido criticado por não ter acionado os militares.

Os dois pré-candidatos são septuagenários e fazem parte, portanto, do grupo de risco dos idosos. Sobre as precauções que estavam tomando, afirmaram que cancelaram eventos públicos, têm lavado as mãos frequentemente e usado álcool em gel.

Este foi o primeiro debate entre Biden e Sanders desde que diversos pré-candidatos desistiram da disputa pela nomeação democrata após as prévias da Carolina do Sul, em 29 de fevereiro, e da Super Terça, em 3 de março.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.