Trump diz que vai se encontrar com Bolsonaro em seu resort na Flórida

Líderes devem jantar no sábado (7), na residência de férias do americano em Mar-a-Lago

Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (6) que pretende se encontrar com Jair Bolsonaro (sem partido) neste sábado (7), durante a visita que o brasileiro fará à Flórida.

Os dois jantarão em Mar-a-Lago, resort que também serve como residência de férias de Trump. A informação foi confirmada pelo próprio presidente americano durante conversa com jornalistas na Casa Branca.

"Vamos jantar em Mar-a-Lago. Ele queria jantar na Flórida", disse Trump à imprensa. Em um comunicado, a Casa Branca acrescentou que "o presidente usará a reunião como uma oportunidade para agradecer o Brasil por sua estreita aliança com os Estados Unidos".

O encontro entre os dois estava sendo articulado desde dezembro.

Integrantes do governo americano, porém, afirmavam que a decisão só seria tomada às vésperas da possível reunião, devido à agenda carregada de Trump nas últimas semanas.

Auxiliares de Bolsonaro não queriam bater o martelo publicamente sobre o jantar porque temiam que o presidente americano desmarcasse em cima da hora, criando um desgaste ao brasileiro.

O anúncio de Trump nesta sexta, portanto, aliviou o temor dos assessores do Planalto, que desde o início da semana já falavam nos bastidores sobre a possibilidade de eles se reunirem pela quarta vez desde a posse de Bolsonaro.

Eles se encontraram em março do ano passado (na visita que o brasileiro fez a Washington), na reunião do G20 no Japão (em junho) e durante a sessão de abertura da assembleia geral da ONU (em setembro em Nova York).  

O presidente brasileiro chega neste sábado para uma visita de quatro dias à Flórida. Trump também já tinha uma viagem marcada ao estado neste fim de semana —ele costuma ir para Mar-a-Lago para descansar.   

De acordo com a agência Reuters, a reunião deverá ser fechada à imprensa e não haverá declarações públicas.

No dia seguinte ao jantar com Trump, o presidente visitará a sede do Comando Sul dos Estados Unidos.

Lá, Bolsonaro vai se encontrar com o almirante da Marinha dos EUA Craig Faller e outros líderes do Comando e do Departamento de Defesa americano.

Na pauta, segundo texto publicado no site da embaixada brasileira em Washington, estarão parcerias de defesa e cooperação entre os dois países.

Também durante a visita, ainda de acordo com a representação diplomática brasileira, representantes do Departamento de Defesa dos EUA e do ministério da Defesa brasileiro assinarão um acordo sobre "desenvolvimento de pesquisa e testes e projetos de avaliação".

Com Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.