Contra Trump, governadores americanos criam aliança para debater retomada

Grupo é liderado por Andrew Cuomo, de Nova York; estados do Oeste tomam ação semelhante

Luis Ferré-Sadurní Jesse McKinley
The New York Times

Com a queda no número de novas mortes e na taxa de internações em Nova York, o governador do estado, Andrew Cuomo, disse nesta segunda-feira (13) que "o pior já passou" na pandemia do coronavírus e anunciou uma aliança com outros seis governadores da Costa Leste dos EUA para estudar como suspender as restrições.

A medida representa uma crítica implícita ao presidente Donald Trump.

Os governadores de Nova Jersey, Connecticut, Pensilvânia, Delaware, Massachusetts e Rhode Island disseram que começarão a elaborar um plano para determinar quando empresas e escolas serão reabertas e com que rapidez as pessoas poderão retornar ao trabalho com segurança, embora o cronograma ainda seja incerto.

Avenida vazia de Nova York por causa das regras de isolamento contra o coronavírus
Avenida vazia de Nova York por causa das regras de isolamento contra o coronavírus - Johannes Eisele - 10.abr.20/AFP

A ação conjunta foi a primeira de dois anúncios nesta segunda-feira: os governadores de Califórnia, Oregon e Washington, três estados da Costa Oeste que estiveram entre os que sentiram os efeitos do vírus antes de ele se espalhar rapidamente pela Costa Leste, anunciaram um pacto semelhante.

Dos dez governadores que fizeram os acordos nas duas costas, nove são democratas.

O presidente Trump passou a segunda-feira montando uma força-tarefa para aconselhá-lo sobre o caminho certo para restaurar um nível mínimo de vida normal nos Estados Unidos.

Ele negou a impressão de que a decisão teria sido deixada para os governadores, mesmo que eles tenham sido os responsáveis pelo fechamento das escolas e pelos decretos de isolamento em casa, e não o governo federal.

A gestão Trump emitiu diretrizes no mês passado, recomendando que os americanos evitassem aglomerações com mais de dez pessoas e tomassem outras medidas, mas as ordens de fechamento foram decretadas pelos governadores e prefeitos.

Também não ficou claro como Trump poderia se sobrepor a um governador que queira manter empresas e escolas fechadas, mesmo depois que o presidente decidir que elas devem reabrir.

O foco na retomada da economia veio no mesmo momento em que o número de mortos no estado de Nova York ultrapassou 10 mil pessoas, mas outros indicadores estão estabilizados ou diminuindo levemente, o que levou Cuomo a declarar que o pior do surto pode ter passado.

Quase 19 mil pessoas continuam internadas em Nova York, o epicentro da pandemia nos Estados Unidos, mas a taxa de internações diminuiu acentuadamente na última semana, e as 671 mortes anunciadas na segunda-feira (13) marcaram o menor número de mortos em um dia na última semana.​

Tradução de AGFox

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.