Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Partido Democrata adia convenção nos EUA devido ao coronavírus

Um dos maiores eventos do calendário eleitoral, encontro que nomeará oponente de Trump será em agosto

Washington | Reuters

O Partido Democrata postergou em um mês sua convenção nacional inicialmente marcada para meados de julho, informou a direção da sigla nesta quinta (2), devido ao avanço do coronavírus. A mudança é a maior alteração no calendário das eleições americanas causada pela pandemia até agora.

O evento de nomeação do candidato democrata que vai concorrer contra Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro estava marcado para ocorrer entre 13 e 16 de julho, em Milwaukee, mas agora deve acontecer na semana de 17 de agosto, na mesma cidade.

O adiamento acontece após o principal candidato da sigla, o ex-vice-presidente Joe Biden, ter sugerido que o encontro que reúne milhares de pessoas deveria ser remarcado devido à pandemia.

"Vai depender de que tipo de ação será tomada entre agora e o meio do verão para mudar esta curva", disse ele na quarta (1º), em entrevista para o comediante Jimmy Kimmel, da rede ABC. Na conversa, ele havia dito duvidar de que a convenção aconteceria em julho.

Joe Biden, o favorito a ser escolhido para concorrer contra Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro - Kevin Lamarque 15.mar.20/Reuters

O adiamento vem na esteira do cancelamento de uma série de comícios e da mudança de datas de primárias em diversos estados. Além disso, com boa parte da população dos EUA sob quarentena, a campanha presidencial tem se desenrolado basicamente online.

Mas, mesmo diante desse cenário, o partido esperava tomar a decisão da mudança mais para frente. Tom Perez, presidente da sigla, disse a doadores nesta semana que os democratas não tinham planos de alterar o dia da convenção, segundo o New York Times.

Falando após o anúncio do adiamento, Joe Solmonese, chefe-executivo do Comitê da Convenção Nacional Democrata, afirmou que "no nosso clima atual de incerteza, acreditamos que é melhor ter tempo extra para monitorar como a situação se desenvolve".

Biden, que foi vice-presidente nas duas gestões de Barack Obama, é o favorito à nomeação, à frente de seu principal concorrente, o senador por Vermont Bernie Sanders.

Especialistas da Casa Branca preveem que, mesmo se os americanos fiquem em casa para conter a expansão da Covid-19, a doença respiratória pode vitimar ao todo entre 100 mil e 240 mil pessoas no país, o mais afetado pelo vírus no mundo.

Mais de 226 mil casos já foram confirmados nos EUA, que registrou 5.648 mortes até a tarde desta quinta, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.