Diário de Confinamento: 'Sair, sim, mas com separação de brinquedos'

Às vésperas do desconfinamento infantil na Espanha, multas por desobediência são salgadas

Susana Bragatto
Barcelona

Dia #42 - Sexta, 24 de abril. Cena: pelos gritos de “oooiii! Como seu cabelo cresceu!!” que vêm do corredor, acho que os desaforados dos vizinhos do 4-B estão recebendo visita.

Sair, sim, mas com separação de brinquedos.

A discussão sem fim sobre os detalhes do desconfinamento infantil na Espanha, anunciado no princípio desta semana, vai chegando a seus contornos definitivos.

Essa é a primeira medida de relaxamento do isolamento social depois de mais de 40 dias de quarentena domiciliar e, por isso, vem cercada de tantos cuidados e controvérsias.

Bichinhos de pelúcia em varal em Ronda, no sul da Espanha - Jon Nazca - 18.abr.2020/Reuters

Depois de declarar que só se poderia sair pra acompanhar pais ou responsáveis durante tarefas cotidianas já permitidas (leia-se, ir ao mercado e pouco mais), o governo espanhol voltou atrás e, atendendo a solicitações várias, liberou um passeiozito monitorado de até uma hora por dia para os pequenos a partir da semana que vem.

Cada adulto pode acompanhar até três crianças. Pode inclusive levar brinquedo pra rua e também utilizar a área comum das comunidades de vizinhos, desde que se mantenha a distância de dois metros entre os núcleos familiares e não se misturem "os brinquedos do 4-A com os do 3-B", como ponderava um comentarista na tevê.

O uso das máscaras, antes considerado obrigatório para crianças a partir de três anos, passou a ser uma "sugestão". Maiores de 14 anos terão que usar máscaras, como os adultos.

Parece exagero, mas a minuciosidade da discussão tem sua importância.

Sem ponderações cuidadosas e orientações claras, esse primeiro gesto de relaxamento do isolamento social pode levar a falhas (ou liberdades) de interpretação —e, como temem muitos especialistas, a uma nova escalada de contágios.

Em teoria, ainda estaremos semiconfinados por um bom tempo. Agora mesmo, inclusive, sem justificativa de trabalho, consulta médica ou necessidades rotineiras, o ciudadano circulante está sujeito a multas de no mínimo 601 euros (R$ 3.660) e, nos casos mais graves, detenção.

Embora essas medidas estejam valendo desde o início do confinamento, somente na semana passada o Ministério do Interior publicou um guia unificador para governos e polícias locais.

Assim, ficamos sabendo, concretamente, o que até agora só ouvíamos à boca pequena, entre amigos ("você viu que fulano resolveu sair pra passear na montanha, encontrou um policial e levou uma multa de 3.000 euros?" —caso verídico, embora o valor da multa possa ser fábula urbana, ou não).

Em miúdos, se você resolver dar um rolê sem justificativa, ganha uma multa de 601 euros. Se esse rolê vier acompanhado do que o guia chama de "menosprezo, jactância ou má educação" perante a autoridade xis, o valor sobe pra 2.000 euros (R$ 12 mil). Com violência, pra 10.400 euros (R$ 63 mil), mesmo valor pra quem resolver organizar uma festinha só-porque-é-bonzão-e-tá-a-fim.

Além disso, o guia contempla casos muito frequentes durante a última Semana Santa (e nos fins de semana em geral), como o deslocamento do fulano à sua "segunda residência". Tradução: se aí fosse como aqui, numa Operação Descida autoproclamada você levaria uma módica multa de 1.500 euros (R$ 9.135). Com presença de menores, mais 1.500 euros. Tá bom pra você?

O espanhol decidiu que tá e não tá, porque até agora o país soma mais de 650 mil denúncias por furadas várias da quarentena. Uma cifra expressiva, mas comportada, considerando que o país tem pouco menos de 47 milhões de habitantes.

Nesta sexta (24), o vice-presidente de Assuntos Sociais, Pablo Iglesias, foi a público para explicar as medidas atualizadas do desconfinamento infantil, que vai começar a valer a partir de domingo (26), com toque de recolher diário às 21h.

Ao contrário do que havia dito o personagem 'estrela' da ala sanitária governamental durante a crise, o epidemiologista Fernando Simón, porta-voz do Centro de Coordenação de Emergências e Alertas Sanitários, Iglesias confirmou que as crianças poderão, sim, não só brincar, mas também levar até "uma bola ou uma patinete".

E pediu que os aplausos diários já clássicos das 20h para homenagear os profissionais de saúde sejam neste domingo dedicado aos pequenos, guerreiros mirins deste longo confinamento.

“Músicas para Quarentenas” podem ser escutadas aqui.

DIÁRIO DE CONFINAMENTO

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.