Berlim lança exposição virtual para comemorar 75 anos do fim da Segunda Guerra

Com imagens e depoimentos, campanha também discute como uma democracia se torna uma ditadura

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Para comemorar os 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial, completados nesta sexta-feira (8), a capital da Alemanha, Berlim, preparou uma exposição com imagens e depoimentos históricos que marcam o encerramento de um dos capítulos mais sombrios da história alemã e mundial.

A mostra seria parte de uma série de eventos ao ar livre em pontos históricos e turísticos da cidade, mas as medidas de isolamento social impostas no país para a contenção da pandemia de Covid-19 mudaram os planos.

O coronavírus, entretanto, acabou trazendo um aspecto positivo à comemoração. Os eventos migraram para a internet e, junto com podcasts, vídeos e um aplicativo de realidade aumentada, a exposição pode ser acessada de qualquer parte do mundo até 2 de setembro.

Mensagem de agradecimento projetada em russo, inglês, francês e alemão sobre o Portão de Brandemburgo, em Berlim, nesta sexta-feira (8) - John Macdougall - 8.mai.20 / AFP

O grande destaque do projeto é a exposição virtual intitulada "To Berlin and Beyond" (para Berlim e além), que cria uma experiência multimídia da capital alemã devastada pela guerra, colocando o foco sobre quatro lugares históricos: o Palácio do Reichstag, prédio onde fica o parlamento federal da Alemanha, o Portão de Brandemburgo, a Alexanderplatz, uma das mais conhecidas praças de Berlim, e o campo de concentração de Sachsenhausen.

O mergulho na história inclui ainda discussões sobre o caminho de uma democracia até uma ditadura, a dimensão europeia da Segunda Guerra Mundial, a vida cotidiana entre guerra e paz e os crimes do regime nazista contra a humanidade.

Para divulgar a exposição e convidar os alemães às reflexões sobre o 8 de maio, a prefeitura de Berlim lançou uma campanha com cartazes espalhados por diversos pontos da cidade.

Imagens da cidade destruída no fim da Segunda Guerra Mundial foram exibidas com manchetes como "no início foi a eleição", "você quer o que você vota?" e "uma eleição e seu resultado".

A proposta, segundo o site do projeto, era ressaltar que eleições democráticas abriram o caminho para a ditadura de extrema direita do regime nazista no país. Os idealizadores da campanha também ressaltam que "é responsabilidade de todos evitar que a história se repita".

"O perigo da extrema direita existe. Agora também vemos teorias da conspiração buscando transformar determinados grupos em bodes expiratórios para a pandemia", afirmou o secretário de Cultura de Berlim, Klaus Lederer, durante entrevista coletiva.

Para Lederer, o 8 de maio deve ser a data usada para recordar o que pode acontecer quando extremistas chegam ao poder e também sobre como esse extremismo é alimentado.

A exposição está disponível, em inglês e alemão, no site do projeto.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.